2000–2009
Tornar-nos um Grande Beneficio para Nossos Semelhantes
anterior seguinte

Tornar-nos um Grande Beneficio para Nossos Semelhantes

Oro para que vocês, maravilhosos rapazes, sejam dignos não apenas de receber o ministério de anjos, mas que vocês, como o jovem Wilford Woodruff, tomem-se um anjo ministrador na vida de outros.

Quando era ainda um rapaz de 27 anos, Wilford Woodruff foi ordenado sacerdote no dia 5 de novembro de 1834. Oito dias depois, ele começou uma missão de dois anos nos Estados do Sul (dos Estados Unidos)1. Certa noite, ele e o companheiro encontraram abrigo na casa de uma família que lhes ofereceu somente o chão para dormir, o qual ele descreveu como “bem duro para alguém que tinha andado 97 quilômetros sem ter-se alimentado”. Recordou-se mais tarde: “Aquele foi o pior dia de trabalho da minha vida”.2

No dia seguinte, andaram 19 quilômetros na chuva até que chegaram à casa de um homem que, por acaso, era membro da turba de Missouri. O Irmão Woodruff disse: “Quando chegamos, a família preparava-se para tomar o desjejum. Naqueles dias, era costume dos mis-sourianos convidar as visitas para comer, mesmo que fossem inimigos; assim, convidou-nos para o desjejum; ficamos muito agradecidos com o convite. Ele sabia que éramos mormons, e logo que começamos a comer, ele começou a praguejar contra os mórmons. Sobre a mesa, havia um enorme prato de bacon com ovos e bastante pães; suas blasfêmias, no entanto, não nos impediram de comer, pois quanto mais praguejava, mais comíamos, até que ficamos totalmente satisfeitos; então levantamos, pegamos nosso chapéu, e agradecemos-lhe pelo desjejum. A última palavra que dele ouvimos era ainda de blasfêmia. Confio em que o Senhor o recompensará pelo nosso desjejum”.3

Ao fim do primeiro ano de sua missão, ele relatou que tinha “viajado 5.228 quilômetros, realizado 170 reuniões, [e] batizado 43 pessoas.”4

Sua primeira missão aos Estados do Sul foi seguida de duas breves missões às Ilhas Fox, no litoral do Maine,5 e duas missões subseqüentes à Inglaterra.6 Durante sua última missão na Inglaterra, em 1840, ele reconheceu que, “por meio das bênçãos de Deus”, tinha sido um instrumento para trazer mais de 1.800 almas para a Igreja, num período de oito meses.7

Wilford Woodruff provou por si mesmo a promessa contida no Livro de Mórmon de que “Deus providenciou um meio para que o homem, pela fé, pudesse operar grandes milagres; portanto ele se torna um grande benefício para seus semelhantes”.8 Meus jovens irmãos do Sacerdócio Aarônico, quero lembrá-los de que nosso Pai nos Céus não quer apenas que sejam bons, mas que sejam bons em algo, para que possam servir e abençoar a vida de outros, e para tornarem-se um benefício para seus semelhantes.

Lemos no evangelho de Lucas que “crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens”.9 Como nossa busca terrena pela perfeição envolve tornar-se mais semelhantes ao Salvador, então nós, da mesma forma, devemos crescer em sabedoria e estatura, e em graça para com Deus e os homens.

As atividades do quórum do sacerdócio e a mutual, realizada com as Moças, quando cuidadosa e fervorosamente planejadas e discutidas no Comitê da Juventude do Bispado,10 ajudarão cada rapaz e moça, inclusive os menos ativos e aqueles que não são membros, a crescer em sabedoria, à medida que adquirirem uma apreciação maior pelas escrituras e pelas palavras dos profetas vivos, e participarem das atividades da Mutual que envolvem “qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável”.11

Aconselhar-se mutuamente no Comitê da Juventude do Bispado constitui um treinamento valioso para uma geração inteira de futuros líderes que aprenderão a trabalhar efetivamente juntos em conselhos.

Rapazes, vocês crescerão em estatura e força física ao se engajarem na prática de danças folclóricas, esportes e competições atléticas cordiais e saudáveis, caracterizadas pelo bom espírito esportivo. Vocês crescerão em graça para com Deus ao realizarem a pesquisa da história da família, ao fazerem batismos no templo pelos antepassados mortos, ao tornarem-se mestres familiares fiéis, ao limparem sempre a capela, ao visitarem asilos, e ao ajudarem a embelezar sua comunidade. Quando assim fizerem, serão um exemplo do conselho do rei Benjamim: “quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de vosso Deus”.12 Um jovem líder sábio dará menos ênfase a atividades para levantar fundos e muito mais ênfase ao serviço altruísta aos outros.

Vocês, rapazes, irão crescer em graça para com os homens e tornar-se mais bem preparados para a missão, o casamento e o futuro emprego, ao aprenderem mais sobre várias profissões e desenvolverem maior autoconfiança por meio de fazer discursos, participar em peças originais de teatro de apenas um ato e shows de talentos.

As atividades da nossa juventude devem refletir nossa crença de que “os homens existem para que tenham alegria”13, e devemos estar desejosos de compartilhar essa alegria com os outros. Há pouco tempo, conheci uma mulher do leste dos Estados Unidos que está atualmente morando no vale do Lago Salgado. Ela é uma irmã dedicada de outra igreja cristã, e então perguntei-lhe como se sentia vivendo entre os santos dos últimos dias. Ela disse: “Meu marido e eu vivemos bem, mas eu me preocupo com nossa filha adolescente. Toda quarta-feira à noite, por volta das sete horas, algumas moças da vizinhança passam em frente a nossa casa indo, juntas, para algum lugar, e nunca pararam para convidar nossa filha de 14 anos para ir com elas”.

Eu respondi: “Esse é o seu dia de sorte; acho que eu mesmo posso resolver esse problema”. Ela prontamente deu-me seu endereço e o nome da filha, e entramos em contato com o presidente da estaca e também com o diretor do Seminário.

Nossos amigos e vizinhos são filhos de um amoroso Pai Celeste que deseja que todos retornem a Ele. Podemos nos dar por satisfeitos se nem todos os membros do nosso quórum estão freqüentando as reuniões no domingo de manhã? Certamente podemos estender-nos aos menos ativos, e aos que professam outra fé, e calorosamente convidá-los para nossas atividades da Mutual dos Rapazes e Moças, Seminário, aulas da Escola Dominical e reuniões sacramentais.

Quando Joseph Smith e Oliver Cowdery receberam o Sacerdócio Aarônico das mãos do ressurreto João Batista, receberam também “as chaves do ministério dos anjos”,14 e assim também aconteceu a vocês, quando foram ordenados. Oro para que vocês, maravilhosos rapazes, sejam dignos não apenas de receber o ministério de anjos, mas que vocês, como o jovem Wilford Woodruff, tornem-se um anjo ministrador na vida de outros, ao exercerem sua fé e operarem “grandes milagres”, tornando-se assim um “grande benefício” para seus semelhantes.

Satanás quer diminuir sua fé e enfraquecer o poder do sacerdócio que vocês possuem para operar grandes milagres, mas um Pai Celestial amoroso deu-lhes uma proteção divina, o dom do Espírito Santo. No primeiro capítulo do Livro de Mórmon, aprendemos que quando Lei lia as escrituras, “ele [ficava] cheio do Espírito do Senhor”.15 Néfi nos promete posteriormente que se “[nos banquetearmos] com as palavras de Cristo (…) as palavras de Cristo [nos] dirão todas as coisas que [devemos] fazer”.16

Talvez vocês estejam tomando decisões a respeito da missão, da futura carreira e, finalmente, do casamento. Ao lerem as escrituras e orarem em busca de orientação, talvez não consigam enxergar a resposta na forma de palavras impressas num papel, mas à medida que lerem, receberão fortes impressões, inspirações e, conforme a promessa, o Espírito Santo “vos mostrará todas as coisas que deveis fazer”.17

Satanás quer que vocês renunciem a seu arbítrio moral em favor de várias formas de comportamento viciador, mas um Pai Celestial amoroso prometeu-lhes por intermédio do Seu profeta, Isaías, que por meio do jejum sincero, ao subjugar seus apetites físicos, Ele os ajudará a “[soltar] as ligaduras da impiedade”, e “[despedaçar] todo o jugo”.18 Invoquem essa promessa por meio do jejum. O jejum, ou a existência de um vazio físico no nosso corpo, abrirá o espaço espiritual necessário para que recebamos a plenitude do evangelho.

O estudo das escrituras e o jejum, precedidos e seguidos da oração realmente “ao mais desalentado [trazem] consolação”.19 A vida inteira do Profeta Joseph Smith demonstra o poder da oração e o cumprimento da promessa do Senhor de que “Se pedires, receberás revelação sobre revelação”.20 Uma importante revelação que vocês receberão será sobre como podem tocar melhor a vida de outras pessoas que se perderam no caminho. Assim sendo, é bom lembrar o sábio conselho do Presidente Hinckley: “O Espírito Santo é um Testificador da verdade, que pode ensinar aos homens o que eles não podem ensinar uns aos outros”.21

O Presidente Gordon B. Hinckley considera ter bons amigos um dos ingredientes fundamentais para reter novos conversos e trazer de volta os menos ativos, e Robert Browning descreveu com eloqüência como isso acontece:

… Fora abençoado como tu,

Envolver-me-ia com o amor, e assim,

Dos amigos ergueria um baluarte;

Jamais sendo derrotado, destarte,

Assistido por gentis e fiéis amigos.22

Como presidente da Igreja, Wilford Woodruff declarou que “não importa que um homem seja Sacerdote ou Apóstolo, o importante é que magnifique seu chamado. Um Sacerdote possui as chaves do ministério de anjos. Jamais em minha vida, como Apóstolo, como Setenta, ou como Élder, tive mais proteção do Senhor do que quando possuía o ofício de Sacerdote. O Senhor revelou a mim, por meio de visões, revelações, e por meio do Espírito Santo, muitas coisas que me aconteceriam”.23

Amados jovens, oro para que cada um de nós, por meio de nossa fé, usemos nosso poder do sacerdócio para operar grandes milagres, pregando o evangelho e servindo outros, tornando-nos, assim, um grande benefício para nossos semelhantes, em nome de Jesus Cristo. Amém.

  1. Matthias F. Cowley, Wilford Woodruff: History of His Life and Labors, Salt Lake City; Deseret News, 1909, p. 47.

  2. Ibid., p. 50.

  3. Ibid., p. 50.

  4. Ibid., p. 58.

  5. Ibid., pp. 70–86.

  6. Ibid., pp. 99–128; pp. 114–128; pp. 129–146.

  7. Ibid., p. 119.

  8. Ver Mosias 8:18.

  9. Ver Lucas 2:52.

  10. Manual de Instruções da Igreja, volume 1, Líderes do Sacerdócio e das Auxiliares, p. 309.

  11. Regras de Fé 1:13.

  12. Mosias 2:17.

  13. 2 Néfi 2:25.

  14. D&C 13.

  15. 1 Néfi 1:8–12.

  16. 2 Néfi 32:3.

  17. 2 Néfi 32:5.

  18. Isaías 58:6.

  19. Hinos, “Com Fervor Fizeste a Prece?”, n° 83.

  20. D&C 42:61.

  21. Gordon B. Hinckley, “O Pai, o Filho e o Espírito Santo”, A Liahona, março de 1998, p. 7.

  22. “Paracelsus”, The Poetical Works of Robert Browning, 2 vols. (1902), 1:25.

  23. “Discourse”, Millennial Star, 5 de outubro de 1891, pp. 628–629.