Lição 30: O Estudo das Escrituras

"Lição 30: O Estudo das Escrituras," Aumentar a Espiritualidade, ()


Objetivo

Fazer com que as jovens aprendam como tornar as escrituras mais significativas em sua vida.

Preparação

  1. 1.

    Familiarize-se com o Guia para Estudo das Escrituras no Livro de Mórmon e o índice de referências de Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor. Prepare-se para ajudar as jovens a encontrarem as escrituras usando esses recursos.

  2. 2.

    Designe algumas jovens para apresentarem as escrituras, histórias ou citações que desejar.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

As Escrituras Podem Guiar-nos e Ajudar-nos a Enfrentar os Desafios Diários

História

Inicie a aula contando a seguinte experiência do Presidente Harold B. Lee:

“Alguns anos atrás, o Presidente da Missão Suécia relatou uma experiência de quando estava num barco, navegando por entre várias pequenas ilhas rumo à Finlândia. Enquanto observava o barco desbravando o mar, notou o curso tortuoso que o piloto seguia por entre as várias ilhas e pensou consigo: Por que ele não nos leva por aquela ilha mais interessante ao invés de seguir este caminho sombrio?

Disse o Presidente da Missão: ‘Enquanto estava ali sentado, pensando, percebi algo como cabos de vassoura que apareciam de repente nas águas à frente. Notei, então, que alguém havia mapeado o curso mais seguro por aquelas águas e pusera guias para nos dirigir em segurança.’

Depois, ensinou esta lição: ‘Da mesma forma, os engenheiros de Deus cartografaram o caminho mais seguro para nós, escrevendo-o nas escrituras, tão inconfundivelmente como o barco que nos guiou pelas águas perigosas para a segurança ao longe.” [“Find the Answers in the Scriptures” (“Encontrar as Respostas nas Escrituras”), Ensign, dezembro de 1972, p. 3.]

Debate

Solicite às jovens que pensem em como as escrituras as orientou na vida pelo curso seguro e reto de volta ao Pai Celestial. Dirija o debate para que comentem o seguinte:

  1. 1.

    As escrituras ajudam-nos a conhecer o Pai Celestial e Seu Filho, Jesus Cristo (Ver João 17:3).

  2. 2.

    Lendo as escrituras, ganhamos um testemunho de Jesus Cristo e do evangelho.

  3. 3.

    Aprendemos com o exemplo de Cristo. (Se houver tempo, peça às jovens que mencionem alguns incidentes da vida de Jesus, que serviram de exemplo para elas.)

  4. 4.

    Podemos aprender com o exemplo dos profetas e das pessoas que escreveram sobre eles nas escrituras.

  5. 5.

    As escrituras ensinam-nos tudo o que devemos saber para voltarmos à presença do Pai Celestial (Ver II Timóteo 3:15–16; D&C 33:16).

  6. 6.

    As escrituras dão-nos inspiração e conforto para enfrentar os desafios da vida.

  • Vocês sabem como encontrar as respostas para seus problemas diários nas escrituras? Como têm usado as escrituras para ajudá-las a solucionar problemas?

  • Existe uma escritura favorita que as ajudaram a enfrentar desafios na vida?

Explique que, como atividade de classe, aprenderemos a forma de encontrar respostas nas escrituras.

Atividade com escritura e estudo de casos

Apresente os seguintes estudos de casos aos membros da classe. Depois de cada caso, conceda-lhes alguns minutos para encontrarem as respostas nas escrituras, que poderão solucionar o problema. Dê uma breve explicação sobre como usar os índices e o guia de estudo para encontrarem a escritura apropriada. Faça com que as alunas mostrem o que aprenderam às demais. As jovens podem trabalhar em grupo nessa atividade.

Podemos Tornar as Escrituras Mais Significativas em Nossa Vida

Debate com uso do quadro-negro

Explique que há muitas formas de estudar as escrituras. Encontrar respostas para problemas específicos é apenas uma delas. Solicite às jovens que sugiram métodos de estudo das escrituras. Aliste as sugestões no quadro-negro que poderiam incluir os seguintes itens:

  1. 1.

    Ler de capa à capa;

  2. 2.

    Estudar por assunto, utilizando o índice de referências ou o manual de Princípios do Evangelho como guia;

  3. 3.

    Participar do Seminário ou de um curso de estudo da Escola Dominical;

  4. 4.

    Compilar e memorizar uma lista de escrituras específicas que nos ajudam e inspiram. (As escrituras que devem ser memorizadas no Seminário podem ser um bom começo.)

  5. 5.

    Procurar respostas para certo problema ou necessidade específica.

Explique que nenhum método é melhor do que o outro. Cada jovem deve escolher a qual deles se adapta melhor.

  • O que normalmente impede as pessoas de ler as escrituras diariamente?

  • O que podemos fazer para sobrepujar esses obstáculos à leitura das escrituras?

Citação

O Élder Carlos E. Asay encorajou-nos a imaginar o tempo que passamos estudando as escrituras como um momento de entrevista pessoal com o Senhor, e disse:

“Temo que muitos de nós corram de um lado para o outro o dia todo e não dêem valor para as escrituras. Lutamos para cumprir compromissos com médicos, advogados e empresários, contudo, não hesitamos em adiar nossas entrevistas pessoais com o Senhor—e adiamos o estudo das escrituras. Não é de admirar que nossa alma fique anêmica e perca a direção na vida. Quão melhor seria se planejássemos e cumpríssemos quinze ou vinte minutos por dia de leitura das escrituras. Essas entrevistas com Deus nos ajudariam a reconhecer Sua voz e a receber orientação para todos os nossos afazeres. Devemos olhar para Deus por intermédio das escrituras.” (Conference Report, outubro de 1978, p. 79; ou Ensign, novembro de 1978, pp. 53–54.)

Debate

  • De que maneira seguir a sugestão do Élder Asay nos ajudaria a estar mais em sintonia com o Espírito na medida em que estudarmos as escrituras?

  • Por que é tão importante planejar um horário regular de estudo das escrituras?

  • Por que o estudo esporádico das escrituras é provavelmente menos satisfatório do que o estudo regular?

História

Para ajudar as jovens a entenderem a importância do estudo consciencioso das escrituras, conte a seguinte história verídica:

Sarah Pea Rich converteu-se à Igreja em 1835, quando tinha dezessete anos de idade. Ela e a família moravam no estado de Illinois e dois missionários mórmons vieram pregar na sua região e falaram-lhes a respeito do Profeta Joseph Smith e da tradução do Livro de Mórmon de placas de ouro.

Sara estava ansiosa para ver o Livro de Mórmon e perguntou a um dos élderes se poderia vê-lo. Ela conta: “Retirei-me para o meu quarto e passei o resto da tarde e a maior parte da noite lendo o livro. Seu conteúdo era verdadeiramente assombroso. O livro deixou-me uma impressão tão forte que jamais esqueci. Parecia aberto diante dos meus olhos durante semanas.”

Na manhã seguinte, os missionários partiram para Kirtland, Ohio, deixando uma forte impressão na família Pea. Pensaram que nunca mais veriam os élderes. Sara escreveu: “Após seis semanas de sua partida, sonhei com os missionários. Sonhei numa sexta-feira à noite que eles iriam à nossa casa na noite seguinte, bem na hora do pôr-do-sol e que apareceriam no fim do longo caminho que ficava em frente da casa.”

Na manhã seguinte, seus pais planejaram ir à cidade. Sarah disse-lhes que chegassem cedo porque tinha certeza de que os missionários viriam. O pai riu e disse que ela deveria estar maluca, pois os élderes estavam a quilômetros de distância. Ele e a mãe de Sarah partiram logo para a cidade. Sarah, entretanto, começou a preparar tudo para a chegada dos missionários.

Sarah escreveu: “Com o passar do dia, comecei a olhar de vez em quando para o fim do caminho à procura deles. Tão certo quanto o pôr-do-sol, eles apareceram, bem no local onde sonhara que os veria primeiro. Encontrei-os na varanda e dei-lhes as boas-vindas. ‘Estava esperando por vocês’, disse eu. ‘Como?’ perguntou um deles, ‘Alguém lhe disse que viríamos?’ ‘Não’, respondi, ‘Sonhei na noite passada que vocês viriam e tinha certeza de que isso aconteceria.’ ‘Bem’, disse um deles, ‘sonhamos que deveríamos voltar aqui para batizar você e sua família e edificar a Igreja nesta região.’”

Os pais de Sarah retornaram da cidade e ficaram surpresos de encontrar os missionários em sua casa. Estes ensinaram sua família e muitos vizinhos. Ficaram naquela região até terem edificado uma igreja com setenta membros, incluindo Sarah, seu pai, sua mãe e sua irmã. [Citado em John Henry Evans, Charles Coulson Rich: Pioneer Builder of the West (Charles Coulson Rich: Pioneiro e Construtor do Oeste) (Nova York: Macmillan Co., 1936), pp. 38–40.]

  • Como acham que Sarah se sentiu a respeito do Livro de Mórmon?

  • O que podemos aprender sobre o estudo das escrituras com sua experiência?

Conclusão

Citação

Leia o seguinte conselho do Élder Howard W. Hunter:

“Com certeza, a pessoa que estuda as escrituras diariamente realiza muito mais do que aquela que se dedica por um tempo considerável num dia e depois leva dias para retomar seu estudo. Devemos não apenas estudar diariamente, mas reservar um horário regular no qual podemos nos concentrar sem interferências. (…)

Quinze minutos é pouco tempo, mas é surpreendente quanto esclarecimento e conhecimento pode ser adquirido num assunto significativo. O importante é não deixar que nada interfira com nosso estudo.” (Conference Report, outubro de 1979, p. 91; ou Ensign novembro de 1979, p. 64.)

Testemunho

Preste seu testemunho sobre o valor de aproximar-se do Senhor por intermédio do estudo das escrituras. Deixe que as jovens digam como se sentem sobre esse assunto.

Aplicação da Aula

Sugira que, se as jovens não estão fazendo um estudo regular das escrituras, podem começar na próxima da semana. Cada aluna poderia relatar pessoalmente à professora sua experiência.