6

Compreender e ensinar adultos

Ensino, Não Há Maior Chamado: Um Guia de Recursos para o Ensino do Evangelho


Uma conselheira na Sociedade de Socorro de certa ala precisava convidar com muita freqüência substitutas para as professoras oficiais. A constante hesitação das irmãs diante do pedido causava-lhe surpresa. Elas afirmavam sentir-se incapazes de dar aula para tantas mulheres que, na opinião delas, tinham muito mais conhecimento e preparo para ensinar.

Você também já deve ter-se sentido incapaz ao receber um chamado para dar aula para adultos. Talvez se tenha preocupado não apenas com o conhecimento e a experiência aparentemente maiores de muitos dos alunos, mas também com as profundas diferenças entre eles. Muitas vezes, os alunos adultos diferem bastante quanto à profissão, grau de instrução, experiência na Igreja, dificuldades familiares, conhecimento das escrituras, nível de autoconfiança e desenvolvimento espiritual. Isso pode dificultar o preparo de aulas que sejam interessantes e significativas para todos. Mas você pode utilizar essas características e experiências diversas (os próprios aspectos que inicialmente o fizeram sentir-se incapaz) para melhorar suas aulas.

Você pode magnificar seu chamado como professor tirando proveito dos muitos pontos fortes de seus alunos. Valha-se do conhecimento e da experiência deles. Planeje aulas em que eles consigam aprender uns com os outros. Você não necessita saber todas as respostas ou fazer uma apresentação que lhes cause uma impressão profunda; esses não são requisitos para um professor do evangelho bem-sucedido. Muito pelo contrário, você precisa ser humilde, diligente, compenetrado e ansiar por contar com a participação dos alunos. Com essa atitude, à medida que você progredir, o Senhor vai ajudá-lo a transformar suas preocupações quanto a sua incapacidade em confiança Nele. Ele magnificará seus esforços, trazendo-lhe paz e inspirando seus alunos a enriquecer as discussões. O Senhor concede-nos uma porção especial de inspiração quando nos reunimos para estudar o evangelho.

Características Comuns aos Alunos Adultos

Ao esforçar-se para tirar o máximo proveito dos pontos fortes e o conhecimento dos adultos a quem ensina, esteja atento aos atributos que lhes são comuns. A maioria dos adultos apresenta as características a seguir:

Precisam Sentir que São Amados e Respeitados e que Estão Fazendo uma Contribuição Significativa

A necessidade que temos de ser amados e respeitados não acaba quando amadurecemos, tampouco nossa vontade de fazermos uma contribuição significativa. A compreensão dessas necessidades motivará você a ouvir e valorizar as idéias de seus alunos. Aceite respeitosamente todas as idéias proferidas pelos alunos e expresse sua gratidão pelas contribuições sinceras que fizerem. Tenha o cuidado de não deixar ninguém constrangido nas aulas. Evite o sarcasmo e outras formas de humor que humilhem as pessoas.

Desejam Aprender pelo Espírito

Os adultos trazem para a sala de aula uma vasta gama de experiências. Muitos aprenderam em sua própria vida o poder dos princípios verdadeiros e podem prestar testemunho de como o evangelho os abençoou. Por causa das provações e alegrias que viveram, sentem uma grande necessidade de compreender o evangelho e receber a orientação do Espírito.

Desejam Falar sobre como o Evangelho Se Aplica em Sua Vida

Os adultos podem contribuir para as aulas falando sobre o que aprenderam ao porem em prática suas crenças e ponderarem as escrituras. Podem ensinar e fortalecer uns aos outros ao relatarem fatos ocorridos em sua vida. Peça-lhes que contem experiências pessoais durante as discussões. Ajude-os a entender e discutir como os princípios que estão estudando podem exercer uma influência positiva na vida deles e de seus familiares.

Desejam Guiar a Si Próprios

Os adultos querem assumir a responsabilidade pelo aprendizado do evangelho. Utilize métodos didáticos que os ajudem a fazê-lo. (Ver “Ajudar as Pessoas a Sentirem-se Responsáveis por Aprender o Evangelho”, páginas 61–62.) Incentive-os a concluir as designações de leitura como forma de preparação para as aulas. Peça-lhes que venham para a sala de aula preparados para fazer perguntas e expressar suas idéias e contar experiências.

Certo professor de Doutrina do Evangelho sempre pedia a seus alunos que usassem os primeiros cinco minutos da aula para expor suas idéias ou a inspiração que haviam recebido no decorrer da semana em seu estudo pessoal das escrituras. Essas experiências convidavam o Espírito e incentivavam os demais alunos a dedicarem-se mais ao estudo. Muitas vezes, esses comentários proporcionavam uma excelente introdução para as aulas.

Preocupam-se com Suas Responsabilidades Familiares

Os adultos querem encontrar soluções para as dificuldades que enfrentam em sua família. Estão ansiosos por aprender a aplicar os princípios do evangelho a essas dificuldades e interessam-se pelas idéias e experiências dos colegas. As discussões sobre esses assuntos constituem uma boa forma de utilizar o tempo de que você dispõe para o estudo do evangelho.

Certo instrutor do quórum de élderes estava dando uma aula baseada em “A Família: Proclamação ao Mundo”. Um membro do quórum já lera parte da proclamação, e o instrutor estava prestes a dar prosseguimento à aula. Então, outro irmão ergueu o braço e disse: “Tenho uma pergunta”. Citando uma frase da proclamação, indagou: “Como podemos ensinar nossos filhos a ‘amar e servir uns aos outros’?” Isso levou a uma discussão altamente proveitosa na qual os membros do quórum relataram meios práticos de aplicar esse princípio.

Começamos a perceber a importância e significado do chamado de dar aula a adultos quando vemos o bom uso que fazem do que aprendem, particularmente ao aplicarem os princípios com a família.

Em certo grupo de sumos sacerdotes, o instrutor estava ensinando sobre a obra missionária. Como parte da aula, dirigiu uma discussão sobre a necessidade de mais casais de idade no campo missionário. Muitos dos presentes haviam servido como missionários quando jovens ou posteriormente com a esposa e alguns deles testificaram das responsabilidades e bênçãos desse serviço.

Um dos membros do grupo voltou para casa e falou com a esposa sobre o assunto da aula. Ambos estavam satisfeitos com a contribuição que estavam fazendo à vida de seus familiares. Mas as palavras e o espírito daquela aula começaram a operar em seu coração. Menos de dois meses depois, estavam discursando na reunião sacramental antes de partirem para servir por dezoito meses em outro país. Com a voz embargada, o marido expressou sua gratidão ao instrutor do grupo de sumos sacerdotes e falou da influência que aquela aula tivera em sua decisão. Ele disse que sabia que ao servir como missionário abençoaria sua vida e a de seus familiares.

Lidar com as Diferenças Individuais

Os adultos têm experiências e habilidades extremamente variadas. Alguns conhecem bem as escrituras; alguns dão respostas prontamente; outros precisam de mais tempo para ponderar uma pergunta; há os que hesitem em participar voluntariamente mesmo quando têm muito a dizer; já outros têm dificuldade para ler. Ao avaliar cuidadosamente essas diferenças, planeje atividades que ajudem todos os alunos a aprender e participar.

Você pode ensinar um grupo diversificado de forma mais eficaz se conhecer os alunos individualmente e adaptar seu modo de ensino aos interesses e necessidades deles. (Ver “Compreender os Alunos”, páginas 33–34.) É particularmente importante incentivar o envolvimento dos recém-conversos, dos membros menos ativos, dos recémchegados à ala e dos jovens adultos que tenham saído recentemente do Sacerdócio Aarônico ou das Moças. Esses membros têm experiências e idéias a relatar, mas podem sentir-se inseguros para fazê-lo.