4: Compreender e ensinar jovens

"4: Compreender e ensinar jovens," Parte C: Ensinar Grupos Etários Diferentes, ()


Quando tinha quinze anos de idade,

Mórmon “[foi] visitado pelo Senhor e [provou] e [conheceu] a bondade de Jesus”. (Mórmon 1:15) Joseph Smith tinha quatorze anos quando recebeu a Primeira Visão. Ao longo de sua juventude, foi instruído e ensinado em preparação para a Restauração do evangelho. Atualmente, o Senhor chama jovens para servir na presidência de classes e quóruns, para realizar ordenanças sagradas do sacerdócio e pregar o evangelho como missionários de tempo integral. Ao ensinar os jovens da Igreja, lembre-se de que o Senhor conhece a capacidade deles. Ele depositou grande confiança nos jovens no passado e continua a fazê-lo hoje.

Compreender os Jovens

Os jovens têm entusiasmo e energia que podem tornar a experiência de ensiná-los extremamente agradável. Mas para ensinarlhes o evangelho, é preciso saber ajudá-los a canalizar a energia na direção correta. É importante compreendê-los, assim como suas preocupações e dificuldades.

Para compreender melhor os jovens a quem ensina, tente lembrar-se de quando você era jovem. Que experiências foram mais difíceis ou dolorosas para você? Com o que você se preocupava? Como você se sentia com relação a si mesmo? Quais eram suas metas e ideais? Quais eram suas necessidades sociais e emocionais? Quais foram as pessoas que mais o auxiliaram e de que forma o fizeram? Refletir sobre essas perguntas pode ajudá-lo a ensinar os jovens de modo mais eficaz.

Compreender as Dificuldades que os Jovens Enfrentam

Os jovens deparam-se com grandes dificuldades ao prepararem-se para a vida adulta. Se você estiver a par desses obstáculos, poderá oferecer apoio e incentivo de maneira sensível e sábia. As informações abaixo podem ajudá-lo a compreender algumas das dificuldades que eles enfrentam.

Adaptar-se às Mudanças do Corpo

O desenvolvimento físico na adolescência é rápido. Em geral, essas mudanças começam um ou dois anos mais cedo para as moças do que para os rapazes. Os novos sentimentos que os jovens experimentam podem tanto entusiasmá-los como confundi-los. Pode ser que se sintam desajeitados ou inferiores por não gostarem de sua aparência física. As modificações físicas que estão ocorrendo em seu corpo exigem muitos ajustes emocionais e sociais.

Fazer Transições Sociais

Por estarem em um período de transição entre a infância e a fase adulta, os jovens podem sentir que não há lugar para eles na sociedade como um todo. Isso acontece principalmente nas sociedades em que a principal responsabilidade deles é estudar. Por causa das mudanças por que estão passando, eles reconhecem que já não são crianças, mas também sabem que ainda não podem cumprir as responsabilidades dos adultos. Muitas vezes, nem se dão conta de que as alterações que estão sofrendo são normais; assim, podem sentirse inseguros. Podem achar que seus sentimentos são únicos e que ninguém compreende o que estão vivenciando.

Aprender a Usar as Crescentes Capacidades Mentais

Entre a idade de 12 e 15 anos, a maioria dos jovens aumenta sua capacidade de aprender. Passam a ter maior habilidade ao fazer julgamentos corretos, pensar logicamente e fazer planos para o futuro. Você terá mais facilidade para influenciar os jovens se respeitar a capacidade mental deles e aprender com eles da mesma forma que gostaria que aprendessem com você.

Manter Ligações Emocionais com os Pais e Outros Adultos

Os jovens têm o forte desejo de aprender com os pais e outros adultos. Também querem que os adultos os respeitem, compreendam e prestem atenção a eles. Os adultos, por outro lado, podem julgá-los mal por causa de sua conduta por vezes imatura ou inusitada. Devemos seguir o conselho que o Senhor deu a Samuel: “Não atentes para a sua aparência, (…) pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração”. (I Samuel 16:7) Um adulto que aceite, compreenda e respeite os jovens pode fazer uma diferença positiva na vida dos que estiverem inseguros e inibidos.

Você pode ser tentado a achar que se aproximará dos jovens caso critique junto com eles seus pais ou outros adultos. Contudo, isso pode levá-los a perder o respeito pelos pais e por você. Lembre-se de que parte importante de sua responsabilidade é ajudar a fortalecer a relação entre pais e filhos.

Comunique-se regularmente com os pais dos jovens a quem ensina. Fale a respeito dos talentos dos filhos, de seu crescimento e das contribuições positivas que fizerem. Mantenha-os informados sobre o que vocês estão estudando na classe. Pergunte-lhes o que você pode fazer para ajudá-los a ensinar seus filhos. Procure aproximar os jovens dos pais e revigorar os laços familiares.

Auto-afirmação

Alguns jovens podem usar roupas ou penteados excêntricos ou expressar idéias incomuns como forma de auto-afirmação. Dessa forma, procuram chamar atenção para si ou ser aceitos por um grupo de amigos, distinguindo-se de outros grupos. Em geral, esse tipo de comportamento não dura muito tempo. De fato, se sentirem o afeto genuíno dos adultos ou tiverem a oportunidade de expressar suas idéias livremente sem serem criticados, os jovens se sentirão mais seguros e cessarão de agir de modo extravagante.

Seria muito insensato tentar vestir-se e falar como os jovens a quem ensina.

Lembre-se de que você deve ser um com eles, não um deles.

Aprender com Modelos Masculinos e Femininos

É importante que os jovens tenham modelos masculinos e femininos ao prepararem-se para o futuro. Não se esqueça de que você e outros adultos servem de exemplo para eles.

Preparar-se para Servir na Igreja e no Mundo

Os jovens passam boa parte de seu tempo estudando e preparando-se para uma carreira profissional. Incentive-os a levarem os estudos a sério e a prepararemse bem para o futuro. Estimule-os também a pensarem em como sua educação, seu estudo do evangelho e suas escolhas entre o certo e errado estão preparando-os para o serviço que prestarão na Igreja futuramente. Ajude os rapazes a prepararem-se para servir como missionários de tempo integral.

Preparar-se para o Casamento e a Vida Familiar

Os jovens podem preparar-se melhor para o casamento e a vida familiar caso se preparem para fazer e cumprir os convênios do templo. Tudo o que você ensinar deve visar a conduzi-los à casa do Senhor. Ajudeos a entender o que se espera deles para que sejam dignos de fazê-lo e incentive-os a estabelecer a meta pessoal de consegui-lo.

Interiorizar os Valores que Nortearão a Vida

O evangelho restaurado contém os princípios e padrões que nos guiarão à felicidade e exaltação. Aproveite todas as oportunidades para ajudar os jovens a adotarem-nos em sua vida. Incentive-os a tomarem a iniciativa por desenvolverem-se espiritualmente. (Ver “Ajudar as Pessoas a Sentirem-se Responsáveis por Aprender o Evangelho”, páginas 61–62.)

Cultivar Amizades com Pessoas da Mesma Idade

Os jovens desejam encontrar um lugar entre as pessoas de sua idade e buscam força nelas. Os amigos desempenham um papel importante na preparação de um jovem para a vida adulta. Ajudam a satisfazer sua necessidade de aceitação e dão-lhe a oportunidade de aprimorar sua capacidade de convívio social. Tranqüilizam-no, ajudando-o a saber que outras pessoas têm necessidades e problemas semelhantes, diminuindo a sensação de isolamento que talvez tenha. Ajudam-no a aprender a respeito dos sentimentos e idéias alheios. Oferecem apoio para valores que começam a formar-se. Quando jovens dignos se agrupam, ajudam a proteger-se mutuamente da pressão exercida por pessoas de padrões diferentes. A Igreja faz algo de extrema importância ao proporcionar aos jovens a oportunidade de relacionar-se com amigos e adultos atenciosos que reforçam valores e estilos de vida saudáveis.

O que os Jovens Precisam dos Adultos

Apoio

Quando recebem carinho, afeto e apoio dos pais, professores ou outros adultos, os jovens sentem-se motivados a enfrentar com otimismo as dificuldades da vida. Certifique-se de que os jovens a quem ensinar sintam que você está sempre à disposição deles e interessado em ajudá-los. Ao pensar neles e nas coisas que precisam aprender, pergunte a si mesmo se está fazendo tudo a seu alcance para ajudá-los a progredir.

Expectativas de Boa Conduta

Quando os jovens sabem que há pessoas que esperam que eles cumpram os padrões do evangelho e obedeçam a regras, é menos provável que ajam de forma temerária e errada. Convém deixar claro, logo que começar a dar aula para eles, o que você espera deles. Lembre-se de que não basta ser amigo dos jovens; é preciso ser um bom exemplo. Você precisa também ensinar a doutrina verdadeira e esperar deles uma boa conduta, para que saibam como levar uma vida digna. (Ver “O Poder da Palavra”, páginas 50–51, e a seção intitulada “Criar uma Atmosfera Propícia ao Aprendizado”, páginas 75–87.)

Respeito pela Individualidade

Quando sentem que os adultos os respeitam e ouvem, os jovens tendem a sentir segurança e a perder a necessidade de chamar atenção. Esforce-se e ore para compreender os jovens a quem ensina. Procure tocá-los individualmente. (Ver “Tocar Cada Pessoa”, páginas 35–36.) Pergunte quais são seus interesses, passatempo e o que fazem no dia-a-dia. Ouça-os e respeite suas idéias, opiniões e sentimentos.

Uma Visão do Futuro

Ao ensinar os jovens da Igreja, você está ajudando a preparar futuros líderes: pais, líderes do sacerdócio e das auxiliares, missionários e talvez profetas. Como lhes falta experiência, os jovens às vezes têm dificuldade para enxergar além do momento presente. Como professor, você pode passar-lhes a visão do que podem ser dentro de alguns anos e orientá-los em sua preparação para isso. Incentive-os a imaginarem a si mesmos no futuro. Ensineos hoje as coisas que precisarão saber amanhã.

Incentivo para Identificar-se com o Reino de Deus

Embora muitas vezes se preocupem mais consigo mesmos, os jovens também têm a grande capacidade de importar-se com as pessoas. Inquietam-se com a situação da sociedade e são idealistas por natureza, desejando contribuir para uma causa nobre. Ao se darem conta de que pertencem a um grupo que tem um propósito real e significativo, é mais provável que sejam criativos, dedicados e capazes de atos abnegados. A causa do estabelecimento do reino de Deus é mais digna de sua lealdade do que qualquer outra. Tire partido desses desejos altruístas que eles nutrem e inspire-os a ajudar a edificar o reino de Deus.