23: Reverência

"23: Reverência," Parte B: Princípios Básicos do Ensino do Evangelho — Criar uma Atmosfera Propícia ao Aprendizado, ()


O Élder Boyd K. Packer ensinou: “Quando nos reunimos para aprender as doutrinas do evangelho, devemos fazê-lo com reverência. (…)

O mundo está ficando cada dia mais barulhento. (…)

Essa ânsia por mais ruído, mais agitação, mais embates, menos restrições, menos dignidade, menos formalidade, não é incomum, inocente ou inofensiva.

A primeira ordem de um comandante que planeja uma invasão militar é a interferência nos canais de comunicação do inimigo.

A irreverência vai ao encontro dos propósitos do adversário, obstruindo os delicados canais da revelação, tanto da mente como do espírito. (…)

(…) A reverência é um convite à revelação”. (Conference Report, outubro de 1991, pp. 27–28; ou Ensign, novembro de 1991, pp. 21–22.)

O Presidente David O. McKay disse que a “reverência é o respeito profundo mesclado ao amor”. (Conference Report, abril de 1967, p. 86; ou Improvement Era, junho de 1967, p. 82)

O Élder L. Tom Perry observou: “A reverência emana de nossa admiração e respeito pela Deidade”. (Conference Report, outubro de 1990, p. 90; ou Ensign, novembro de 1990, p. 70)

O Presidente Spencer W. Kimball aconselhou-nos: “A verdadeira reverência é uma qualidade vital, ainda que esteja desaparecendo rapidamente no mundo à medida que as forças do mal aumentam sua influência. Não podemos compreender plenamente o bem que podemos exercer se os milhões de membros da Igreja verdadeira servirem de modelos de comportamento reverente. Não podemos imaginar o número maior de vidas que podemos tocar. E talvez ainda mais importante, não podemos prever o grande impacto espiritual que podemos exercer sobre nossa própria família se tornarmo-nos o povo reverente que sabemos que devemos ser”. (The Teachings of Spencer W. Kimball, ed. Edward L. Kimball [1982], p. 224–225)

Essas declarações de profetas, videntes e reveladores santos dos últimos dias mostram que a reverência significa muito mais do que ficar quieto e imóvel na aula. É uma atitude presente em todos os comportamentos dignos e que se revela em nosso respeito e amor por Deus e uns pelos outros. Uma música da Primária ensina:

Reverência é mais que sentar bem quietinho.
É pensar com profundo fervor
Nas bênçãos que vêm do meu bom Pai Celestial
Porque reverência é amor.

Dar um Exemplo de Reverência

Para podermos ensinar as pessoas a serem reverentes, nós mesmos devemos sêlo. Devemos refletir sobre a definição de reverência do Presidente McKay: “respeito profundo mesclado a amor”. As sugestões a seguir podem ajudá-lo a avaliar seus esforços para ser reverente.

  • Guarde os convênios sacramentais de recordar sempre o Senhor e tomar sobre si o nome Dele. (Ver D&C 20:77, 79.) Esforce-se para sempre pensar Nele e em Sua bondade e para “servir de [testemunha] de Deus em todos os momentos e em todas as coisas e em todos os lugares”. (Mosias 18:9)

  • Use os nomes da Deidade de forma adequada e reverente. O Élder Dallin H. Oaks ensinou: “Quando os nomes de Deus, o Pai, e Seu Filho, Jesus Cristo, são utilizados com reverência e autoridade, invocam um poder tal que ao homem mortal não é possível compreender. Deve ser óbvio para todos os santos que esses nomes poderosos — por intermédio dos quais milagres se realizam, se fez o mundo, se criou o homem e se opera nossa salvação — são sagrados e devem ser tratados com a máxima reverência”. (Conference Report, abril de 1986 p. 67; ou Ensign, maio de 1986, p. 51)

  • Demonstre o devido respeito às Autoridades Gerais, Setentas-Autoridades de Área, membros das presidências gerais das auxiliares e líderes locais do sacerdócio e das auxiliares. Sempre utilize seus títulos, como “Presidente”, “Élder”, “Bispo” ou “Irmã”, ao dirigir-se ou referir-se a eles. Ao dirigir-se ou referir-se aos demais adultos da Igreja, sempre os trate por “Irmão” e “Irmã”.

  • Abstenha-se de linguagem ou palavras ásperas que aviltem, depreciem ou critiquem. Utilize expressões de cortesia, como “por favor”, “obrigado” e “com licença” com os membros da família assim como outras pessoas.

  • Mostre o devido respeito ao manusear as escrituras e utilizar os bens do Senhor (como os prédios e áreas circunvizinhas, mobília e livros.

Maneiras Específicas de Ensinar o Comportamento Reverente

Embora normalmente baste seu exemplo para ajudar as pessoas a serem mais reverentes, às vezes é preciso ensinar alguns comportamentos reverentes específicos. Isso talvez seja necessário principalmente no caso das crianças e jovens.

Uma professora de meninas de 10 e 11 anos aprendeu a necessidade de dar instruções específicas sobre a reverência. Durante uma aula sobre a missão e o martírio do Profeta Joseph Smith, as crianças começaram a apresentar um comportamento infantil e desrespeitoso. A professora ouviu, com tristeza e descrença, os comentários irreverentes e precisou de um instante de silêncio para decidir o que fazer. Logo em seguida, com a voz embargada, anunciou com firmeza que aquelas palavras e risadas não eram adequadas e que ofendiam a grande reverência que ela sentia por Joseph Smith e suas experiências. Imediatamente, elas calaram-se. Ela disse-lhes que as amava e que gostava de ser sua professora, mas não podia tolerar tal atitude. Foi uma experiência marcante tanto para a professora como para as alunas.

As sugestões a seguir podem ajudá-lo a incentivar os alunos a serem reverentes.

  • Estabeleça limites. Defina que comportamentos são aceitáveis e quais não são. Por exemplo, não tolere linguagem que deprecie as coisas sagradas ou que seja vulgar, profana ou indelicada. Desestimule as posturas descorteses, como comer ou ficar entrando e saindo durante a aula. Estimule os alunos a ouvirem-se mutuamente sem interrupções, tanto ao interagirem entre si como com você. Incentive-os também a utilizarem expressões amáveis, como “por favor”, “obrigado” e “com licença”.

  • Organize-se e prepare-se para que, na medida do possível, não haja improviso e desordem. Se lecionar em uma sala de aula, chegue cedo ao local.

  • Comece e termine as aulas dentro do horário. Assim, demonstrará respeito por seus alunos.

  • Fale de forma agradável e gentil. Sempre cumprimente seus alunos com um sorriso.

  • Seja atencioso com as contribuições dos alunos às discussões.

  • Se der aula para crianças, planeje com antecedência as coisas que pode fazer para ajudá-las a comportarem-se. Poderá restabelecer um ambiente reverente ao cantar ou cantarolar um hino sereno, mostrar uma gravura ou usar um sinal que as crianças reconheçam como lembrete para serem reverentes.

  • Lembre-se de que as crianças, em especial, têm muita dificuldade para ficarem sentadas quietas por longos períodos. Ajude-as a ouvir e participar ativamente. Dê intervalos periodicamente.

  • Reserve tempo para explicar a importância da reverência, principalmente para as crianças. Explique o propósito do prelúdio. Diga por que é importante ouvir, cantar e falar com brandura. Ajude as crianças a entenderem que a reverência agrada ao Pai Celestial. Explique-lhes que se forem reverentes, se sentirão bem consigo mesmas e seu testemunho crescerá.

  • Não dê prêmios ou alimentos como recompensa por comportamentos reverentes. Não realize competições para ver quem é mais reverente. Isso tende a chamar a atenção para as coisas erradas. Ensine sobre as verdadeiras recompensas da reverência, ou seja, um maior entendimento e a influência do Espírito.

  • Use música. O Élder Boyd K. Packer disse: “A música pode criar uma atmosfera de adoração que atrai o espírito de revelação, de testemunho”. (A Liahona, janeiro de 1992, p. 24) Use um prelúdio musical para trazer reverência ao ambiente. Utilize música também no decorrer das aulas.

  • Ajude os alunos a reconhecer a influência do Espírito. Preste seu testemunho quando for inspirado a fazê-lo.

  • Centralize todo o seu ensino no Salvador. Mostre uma gravura do Salvador durante a aula.