Lição 42

Daniel na Cova dos Leões

Primária 6: Velho Testamento


Propósito

Ajudar as crianças a compreenderem a importância de orar todos os dias.

Preparação

  1. Em espírito de oração, estude:

    • Daniel 5:29–31, 6:1–3—Dario torna-se o rei da Babilônia. Daniel recebe poder no reino.

    • Daniel 6:4–9—O rei Dario decreta que o povo não pode fazer petição a ninguém, exceto ao rei.

    • Daniel 6:10–17—Daniel ora desafiando o decreto do rei Dario e é jogado em uma cova de leões.

    • Daniel 6:18–24—O rei Dario jejua. Os leões não fazem mal a Daniel.

    • Daniel 6:25–27—O rei Dario presta testemunho de Deus.

  2. Estude a lição e decida como pretende ensinar às crianças as histórias das escrituras. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Escolha as perguntas do debate e as atividades complementares que mais ajudem as crianças a alcançarem o propósito da aula.

  3. Material necessário:

    1. Uma Bíblia para cada criança.

    2. Gravura 6–13: Daniel na Cova dos Leões [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 117]

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Desenhe uma casa e uma montanha, como as do exemplo, no quadro-negro.

Line art

Peça que as crianças finjam que a casa do desenho é a delas e que elas precisam viajar para bem longe de casa para visitar um parente, ser internadas num hospital ou servir missão. Desenhe uma pessoa do outro lado da montanha.

• Como vocês falariam com sua família se estivessem tão longe de casa? Sobre o que falariam?

Diga que quando vivíamos com o Pai Celestial falávamos com Ele tão facilmente quanto falamos com nossos pais e familiares na Terra. Apesar de termos nos separado do Pai Celestial quando viemos para a Terra, podemos nos comunicar com Ele.

• O que o Pai Celestial disse que poderíamos fazer para nos comunicarmos com Ele? Por que Ele quer que oremos a Ele? Diga que Ele nos ama, quer que O amemos, peçamos Sua ajuda e deseja abençoar-nos.

História das Escrituras

Ensine às crianças a história de como Daniel foi jogado na cova dos leões, de acordo com as escrituras relacionadas na seção “Preparação”. Use a gravura quando for oportuno. (Para sugestões de como ensinar a história das escrituras, ver “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

Debate

Ao preparar a aula, estude as seguintes perguntas e referências de escrituras. Use as perguntas que mais ajudem as crianças a entender as escrituras e aplicar os princípios em sua vida. Ler e discutir as escrituras durante a aula irá ajudá-las a chegar a seus próprios pontos de vista a respeito do assunto.

• Que posição Daniel ocupava no governo do rei Dario? (Daniel 5:29–31; 6:1–3.) Diga que Nabucodonosor, que era o rei da Babilônia quando Sadraque, Mesaque e Abednego foram lançados na fornalha de fogo ardente, tinha um neto, chamado Belsazar, que se tornou rei da Babilônia. Em recompensa por ter interpretado corretamente uma mensagem de Deus para Belsazar, o rei fez de Daniel um dos três governadores mais importantes do reino. Depois que Belsazar foi morto, Dario tornou-se o rei da Babilônia. Por que Daniel foi escolhido para ser o mais importante dos 120 príncipes? (Daniel 6:3) Explique às crianças que as palavras “nele havia um espírito excelente” querem dizer que o Espírito do Deus guiava Daniel. Por que é bom confiar e dar responsabilidades a pessoas que são guiadas pelo Espírito de Deus?

• O que os demais presidentes e príncipes queriam fazer a Daniel? (Daniel 6:4) Em sua opinião, por que eles queriam achar erro ou culpa em Daniel? (Daniel 5:5, 7) Como podemos lidar com situações em que, devido ao fato de vivermos retamente, outras pessoas tentem encontrar falhas em nós? (Ver atividade complementar 1.)

• Em sua opinião, por que o rei Dario assinou o decreto? (Daniel 6:6–9) Diga que os príncipes e presidentes usaram de lisonjas para enredar o rei e fazer com que ele expedisse o decreto. Qual é a diferença entre um elogio sincero e a lisonja? Como Dario se sentiu quando percebeu o que havia feito? (Daniel 6:14)

• O que Daniel fez quando soube do decreto? (Daniel 6:10–11) Em sua opinião, por que Daniel não deixou de orar? Por que é tão importante orar todos os dias? O que você acha que faria se estivesse na mesma situação de Daniel?

• Em quem Daniel confiou quando o puseram na cova dos leões? (Daniel 6:18) O que Dario fez enquanto Daniel estava na cova dos leões? (Daniel 6:18) De que forma sua família já recebeu ajuda por meio de oração e jejum?

• Qual foi o resultado das orações de Daniel e do jejum de Dario? (Daniel 6:22–23) De que forma Daniel foi abençoado por obedecer a Deus? Que bênçãos vocês já receberam por obedecerem a Deus? De que forma o Senhor respondeu suas orações? Diga que nem sempre as respostas para nossas orações são as que desejamos, mas que sempre somos abençoados por orar diariamente e por fazer o que é certo.

• Qual foi o segundo decreto do rei Dario? (Daniel 6:25–27) Em que o segundo decreto diferia do primeiro? (Ver Daniel 6:7–8.) No seu primeiro decreto, quem ele queria que fosse louvado? No segundo decreto, quem ele queria que fosse louvado? Explique às crianças que no segundo decreto, o rei, na verdade, prestou seu testemunho a respeito do Deus vivo.

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. Peça às crianças que pensem em ocasiões em que foram perseguidas por viverem o evangelho, ou imaginem situações em que isso poderia acontecer. Por exemplo: alguém zombou delas por se recusarem a escutar uma piada suja ou por não tomarem parte em certas atividades no dia do Senhor. Peçalhes que dêem sugestões de como lidar com situações como essas.

  2. Use o quadro-negro ou um papel bem grande para as crianças fazerem uma lista das coisas que podem pedir em oração. (Ver Alma 34:18–27.) Depois peça-lhes que façam uma lista das coisas pelas quais são gratas. Saliente a importância de agradecermos quando oramos. Incentive as crianças a demonstrar, todos os dias, reconhecimento e gratidão ao Pai Celestial pelas bênçãos que recebem.

    Se preferir, no lugar de fazer a lista, providencie uma garrafa de gargalo estreito e palitos de dente ou varetinhas. Peça às crianças, uma a uma, que digam algo que poderiam pedir ou agradecer em oração e equilibrem um palito atravessado em cima do gargalo da garrafa. Continue com a atividade até que todos os palitos caiam.

  3. Lembre as crianças das orações que Daniel fez e do jejum de Dario e peçalhes que decidam o que fariam nestas situações:

    1. Você ouve sua mãe levantar à noite para cuidar de seu irmão que está doente.

    2. Você perde-se de sua família no meio de uma multidão.

    3. Um amigo mostra-lhe uma revista com fotos e figuras vulgares.

    4. Você está desanimado por causa de suas notas.

    5. Em sua ala ou ramo há alguém muito doente.

    Diga que orar, jejuar e fazer o que estiver a seu alcance para ajudar são maneiras importantes de lidarmos com os problemas.

  4. Faça um debate a respeito da importância de orarmos todos os dias. Peça às crianças que pensem em ocasiões em que podem orar. Se quiser, peça-lhes que escrevam no quadro-negro as coisas que poderiam pedir e o que poderiam agradecer em oração. Não deixe de incluir no assunto do debate as orações feitas nas aulas da Primária e de incentivar as crianças a orar pelas pessoas que faltaram. Dê ênfase à importância de sempre agradecermos pelas bênçãos que recebemos, pedirmos que o Senhor nos ajude no decorrer do dia e orarmos por nossa família sempre que possível.

  5. Cante ou leia “A Cabecinha Abaixarei” (Músicas para Crianças, p. 18) ou a oitava estrofe de “Segue o Profeta” (Músicas para Crianças, p. 58).

Conclusão

Testemunho

Preste testemunho de que o Pai Celestial ouve nossas orações e as responde com o que for melhor para nós. Incentive as crianças a orar todas as manhãs e todas as noites.

Sugestão para Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversar com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou ler a “Designação de Leitura Sugerida” em família.

Designação de Leitura Sugerida

Sugira às crianças que estudem, em casa, Daniel 6:16–23 para recapitularem a lição.

Convide uma criança para fazer a última oração.