Lição 32

Roboão

Primária 6: Velho Testamento


Propósito

Incentivar cada criança a ser uma influência positiva sobre as outras e a vencer as pressões negativas dos amigos.

Preparação

  1. Em espírito de oração, estude:

    • I Reis 11:43—Roboão, filho de Salomão, torna-se rei.

    • I Reis 12:1–5—Jeroboão diz a Roboão que Israel irá servi-lo se ele aliviar o jugo do povo.

    • I Reis 12:6–11—Roboão aconselha-se com os mais velhos e com os jovens.

    • I Reis 12:12–21—Roboão rejeita o conselho dos mais velhos. As dez tribos rebelam-se e seguem Jeroboão.

  2. Estude a lição e decida como pretende ensinar às crianças as histórias das escrituras. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Escolha as perguntas do debate e as atividades complementares que mais ajudem as crianças a alcançarem o propósito da aula.

  3. Material necessário: uma Bíblia para cada criança.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Faça este desenho no quadro-negro ou em um papel, de modo que fique perfeitamente visível para todas as crianças:

Line art

Diga que o assunto desta lição pode ser resumido em quatro palavras. Para saber que assunto é esse, as crianças devem descobrir quais são as palavras misteriosas. Peça às crianças que tentem adivinhar as letras que formam as palavras. Sempre que elas acertarem, escreva a letra que disseram no lugar correto (como no jogo da forca); sempre que errarem, risque uma das carinhas e anote a letra para que elas não a escolham de novo. As palavras misteriosas são: A Pressão do Grupo.

Faça um debate sobre o que é a pressão do grupo. Ajude as crianças a entenderem que pressão do grupo é a influência que os amigos exercem sobre elas e vice-versa. Inclua no debate os modos como a pressão do grupo pode ser negativa ou positiva. Dê exemplos tanto de pressão de grupo negativa, quanto de positiva, tais como: juntar-se a pessoas que estão sendo rudes com alguém para que não zombem de você; ou ser bondoso com alguém e incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Diga-lhes que aprenderão a história de um rei que se deixou influenciar por uma pressão de grupo negativa e sofreu as conseqüências das decisões que tomou.

História das Escrituras

Ensine às crianças a história Roboão, de acordo com as escrituras relacionadas na seção “Preparação”. (Para sugestões de como ensinar a história das escrituras, ver “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

Debate

Ao preparar a aula, estude as seguintes perguntas e referências de escrituras. Use as perguntas que mais ajudem as crianças a entender as escrituras e aplicar os princípios em sua vida. Ler e discutir as escrituras durante a aula irá ajudá-las a chegar a seus próprios pontos de vista a respeito do assunto.

• Quem era o pai de Roboão? (I Reis 11:43) Roboão tornou-se rei depois da morte de Salomão. O que o povo lhe pediu que fizesse? (I Reis 12:3–4) Diga que Salomão havia criado pesados impostos e o povo estava cansado de arcar com esse fardo.

• Com quem Roboão se aconselhou primeiro? (I Reis 12:6) O que eles o aconselharam a fazer? (I Reis 12:7) Em sua opinião, por que esse era um bom conselho? O que esse conselho pode nos ensinar a respeito de como devemos tratar nossa família, amigos e vizinhos?

• Depois disso, com quem Roboão se aconselhou? (I Reis 12:8–9) Que conselho eles deram a Roboão? (I Reis 12:10–11; os escorpiões citados no versículo 11 referem-se a um chicote de várias tiras com farpas de metal nas pontas.)

• Quando o povo quis saber a resposta de Roboão, o que ele disse? (I Reis 12:13–14) Por que vocês acham que ele decidiu seguir o conselho dos jovens em vez do conselho dos mais velhos? O que vocês acham que a decisão de Roboão fez o povo sentir? Quais são algumas das conseqüências de sermos maus para com os outros?

• Qual foi o resultado de Roboão ter seguido o conselho de seus amigos e não o dos mais velhos? (I Reis 12:19–21) Diga que por ter seguido um conselho tolo, apenas as tribos de Judá e Benjamim o aceitaram como rei. Jeroboão comandou uma rebelião contra Roboão e tornou-se o rei das outras dez tribos. Assim, as doze tribos de Israel dividiram-se em dois reinos: o reino de Judá (Roboão) e o reino de Israel (Jeroboão). (Observação: Apesar de terem nomes parecidos, Roboão e Jeroboão não eram irmãos nem parentes.)

• Por que devemos pedir conselho a pessoas sábias? (Ver atividade complementar 3.) Por que devemos escolher amigos que tenham bons valores morais? (Ver atividade complementar 4.) O que devemos fazer se alguém tentar persuadir-nos a fazer algo que sabemos ser errado? De que forma algumas pessoas de hoje são influenciadas por pressão de grupo negativa? Que proveito podemos tirar da pressão de grupo positiva? Como podemos usar a pressão de grupo positiva para ajudar outros jovens?

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. Prepare papéis com estas situações escritas e coloque-os numa caixa. Peça às crianças que peguem um papel cada uma e digam, uma por vez, como reagiriam àquela situação. Lembre a elas que há muitos modos de exercerem uma boa influência sobre os outros.

    1. Um amigo seu sempre lhe pede que falte à aula e passe o dia brincando com ele. Como você pode exercer uma boa influência sobre ele?

    2. Você tem o hábito de orar de joelhos todas as noites antes de deitar-se. Se você fosse dormir na casa de um amigo e soubesse que ele não tem o mesmo costume, o que faria quando chegasse a hora de ir dormir?

    3. Alguns amigos querem que você vá ao cinema com eles. Seus pais consideram o filme que seus amigos querem ver impróprio e você sabe disso, mas seus amigos estão insistindo muito para você ir. Como você poderia influenciá-los positivamente?

    4. Você quer ir à Igreja aos domingos, mas uns amigos querem que fique em casa para jogar futebol com eles. Como você poderia exercer uma boa influência sobre eles?

    5. Uma amiga sua quer que vá com ela ajudar uma viúva que mora no fim da rua. Você preferiria ir brincar. O que você deveria fazer? Por quê?

    Peça às crianças que falem de ocasiões em que tenham visto o exemplo de alguém influenciar outra pessoa a fazer o bem.

  2. Faça um desenho do cruzeiro do sul, como o do exemplo, e diga às crianças que no hemisfério sul (ao sul do equador) há uma constelação de cinco estrelas que formam o desenho de uma cruz, a estrela da cabeceira da cruz é conhecida como beta Crucis e a que fica na base chama-se Estrela de Magalhães (ou alfa Crucis). Por muitos séculos, navegadores e exploradores vêm usando o Cruzeiro do Sul para orientar-se, pois ele ocupa sempre a mesma posição no céu e a base da cruz (a Estrela de Magalhães) sempre aponta para o sul. No hemisfério norte, também há uma estrela-guia para os navegadores e exploradores: é a Estrela Polar, que sempre indica o norte. Essa estrela faz parte de uma constelação chamada Ursa Menor e fica bem perto de outra:

    Line art

    Conte às crianças a ocasião em que o Presidente Gordon B. Hinckley precisou confiar na Estrela Polar como fonte de alento e constância. “Depois de um belo dia de trabalho árduo, Sherm, meu irmão mais novo, e eu costumávamos dormir ao ar livre, numa carroça velha da fazenda. (…) Conseguíamos identificar algumas constelações e outras estrelas. (…) Nossa estrela predileta era a Estrela Polar. Todas as noites encontrávamos a Ursa Maior e seguíamos seu contorno até acharmos a Estrela Polar.

    Aprendemos como essa estrela é constante. Durante a noite, à medida que a Terra girava, as outras estrelas pareciam mover-se. Mas a Estrela Polar continuava em sua posição, alinhada ao eixo da Terra. Devido a essas reflexões de infância, a Estrela Polar ganhou significados para mim. Eu a reconhecia como algo constante em meio a mudanças. Era algo com que podia contar, algo confiável, uma âncora num firmamento, que sem ela pareceria mutável e instável.” (Jeffrey R. Holland. “President Gordon B. Hinckley”, Ensign, junho de 1995, p. 5)

    Frise que se essa história tivesse acontecido no hemisfério sul, em vez de citar a Estrela Polar, ele teria citado o Cruzeiro do Sul. Faça um debate sobre o que podemos fazer para sermos tão constantes quanto o Cruzeiro do Sul. Se decidirmos neste momento que quando enfrentarmos tentações ou pressão de grupo escolheremos o que é certo, seremos constantes em tomar decisões retas e as outras pessoas irão ver-nos como um guia. As decisões que tomarmos não serão afetadas pelo medo da opinião alheia nem pela pressão negativa que tentem exercer sobre nós.

  3. Convide um membro da ala que tenha talento ou habilidade para tocar um instrumento musical, praticar determinado esporte, etc, para sua aula e peçalhe que demonstre ou fale sobre o que faz. Pergunte às crianças a quem pediriam ajuda se quisessem aprender a fazer o que essa pessoa faz. Debata a importância de pedir ajuda e conselho a pessoas que tenham conhecimento e experiência para guiar-nos. Peça-lhes que citem pessoas a quem poderiam pedir conselho a respeito de:

    1. Problemas de família.

    2. Uma coisa errada que um amigo seu esteja fazendo.

    3. O que fazer para tirar notas melhores na escola.

    4. Como abandonar um mau hábito.

    Durante o debate, ajude as crianças a entenderem que sempre devemos pedir ao Pai Celestial para ajudar-nos a tomar decisões e resolver problemas. Ele irá ajudar-nos a saber o que fazer ou a quem devemos pedir ajuda e conselho.

  4. Diga que às vezes alguém está nos pressionando para fazer algo que não sabemos se devemos fazer. Leia Morôni 7:13 e fale sobre como essa escritura nos ajuda a saber o que fazer quando isso acontece. Se quiser, use algumas das situações sugeridas na atividade complementar 1 como exemplos para debate. (Em vez de Morôni 7:13 você pode usar a décima terceira regra de fé.)

  5. Conte esta história e faça um debate a seu respeito:

    “Eu cursava a quarta série na Jamaica quando, um dia, o professor que dava aulas de religião para a minha turma pediu a todos os alunos que falassem de sua religião. Visto que eu era a única Mórmon da escola, fui escolhida para representar a Igreja.

    Quando chegou minha vez, eu já estava com o coração a mil. Nunca fui boa para falar em público e não tinha uma voz forte. Quando me levantei, encarei o mar de gente diante de mim e tentei falar sobre algumas das coisas em que acreditamos. Primeiro, falei da Palavra de Sabedoria, depois do sacramento e de como usávamos o pão e a água para representar o corpo e o sangue do Salvador quando Ele morreu por nós.

    Antes que eu pudesse continuar, todos começaram a rir de mim. Meus olhos encheram-se de lágrimas e eu tentava imaginar o que tinha dito para fazê-los rir. Rapidamente, enxuguei as lágrimas e voltei para meu lugar ouvindo um coro que dizia: ‘Pão e água, pão e água’. Continuaram zombando de mim o dia inteiro. (…) Ainda não sei por que riram do que eu estava dizendo.

    Depois de chegar em casa, peguei a Bíblia grande que minha mãe tinha na prateleira e fiquei olhando as figuras. Ao virar uma página, passei os olhos por uma escritura e, rapidamente, voltei a página para lê-la. Era Mateus 10:32 ‘Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.’ Enquanto eu lia e relia essas palavras, senti a paz envolver-me e percebi que não importava que rissem de mim se o que eu estivesse fazendo fosse certo. (Camille Nugent, The New Era, junho de 1994, p. 15)

  6. Cante ou leia “Ouse ser bom” (Músicas para Crianças, p. 80).

Conclusão

Testemunho

Fale de seu desejo de ser constante e permanecer fiel ao Pai Celestial em todas as circunstâncias. Se desejar, fale sobre a influência positiva que um amigo tenha exercido em sua vida, e sobre como você deseja ajudar seus amigos a tomarem decisões sábias. Desafie as crianças a não cederem à pressão de grupo negativa, a serem constantes e sempre tomarem decisões retas, e assim exercerem influência positiva sobre todos os que as rodeiam.

Sugestão de Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversar com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou ler a “Designação de Leitura Sugerida” em família.

Designação de Leitura Sugerida

Sugira às crianças que estudem, em casa, I Reis 12:1–20 para recapitularem a lição.

Convide uma criança para fazer a última oração.