Lição 31

A Sabedoria do Rei Salomão

Primária 6: Velho Testamento


Propósito

Fortalecer, em todas as crianças, o desejo de desenvolver a sabedoria e um coração entendido para, assim, tornarem-se mais semelhantes a Jesus Cristo.

Preparação

  1. Em espírito de oração, estude:

  2. Estude a lição e decida como pretende ensinar às crianças as histórias das escrituras. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Escolha as perguntas do debate e as atividades complementares que mais ajudem as crianças a alcançarem o propósito da aula.

  3. Material necessário: uma Bíblia para cada criança.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Peça às crianças que digam o que pediriam se soubessem que o Pai Celestial lhes daria qualquer coisa que pedissem. Escreva o que elas disserem no quadro-negro.

Use algumas coisas para representar os bens materiais, por exemplo uma bijuteria, uma moeda, uma pedra bonita, etc. Mostre-as às crianças e, enquanto fala sobre elas e discute o fato de que há pessoas que se empenham mais em acumular riquezas do que em fazer qualquer outra coisa, coloque-as em uma vasilha grande. Depois coloque água na vasilha, representando as boas ações ou os dons espirituais, enquanto discute as coisas boas que podemos fazer e os dons espirituais que podemos desenvolver, como ajudar a alguém da família ou a um amigo, ganhar um testemunho, ser honesto ou ter um coração entendido. Passe o conteúdo da vasilha para outra, coando com uma peneira. Diga que a primeira vasilha representa esta vida, a peneira representa a morte e a outra vasilha, a vida após a morte. Fale sobre o fato de não podermos levar os bens materiais conosco quando morrermos, mas levaremos os dons espirituais que desenvolvemos e as boas ações que praticamos.

Pergunte às crianças quais das idéias escritas no quadro-negro representam coisas que podem durar para sempre e se elas querem substituir alguma das coisas que pediriam. Diga-lhes que aprenderão a respeito de uma pessoa que pôde fazer um pedido a Deus e escolheu um dom espiritual e eterno, em vez de algo temporário e terreno.

História das Escrituras

Ensine às crianças a história do rei Salomão, de acordo com as escrituras relacionadas na seção “Preparação”. (Para sugestões de como ensinar a história das escrituras, ver “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)

Debate

Ao preparar a aula, estude as seguintes perguntas e referências de escrituras. Use as perguntas que mais ajudem as crianças a entender as escrituras e aplicar os princípios em sua vida. Ler e discutir as escrituras durante a aula irá ajudá-las a chegar a seus próprios pontos de vista a respeito do assunto.

• Quem sucederia a Davi no trono de Israel? (I Reis 1:39; 2:12) Que conselho Davi deu a seu filho Salomão? (I Reis 2:1–3) Como podemos utilizar esse conselho?

• Em sua opinião, por que Salomão disse que era “um menino pequeno”? (I Reis 3:7; ele sentia-se inadequado para o chamado de governar e julgar o povo.) O que Salomão fez devido ao fato de sentir-se inadequado? (I Reis 3:3–9; preparou-se para receber dons espirituais.) O que devemos fazer quando temos pela frente uma tarefa muito difícil ou assustadoramente grande e não estamos certos de sermos capazes de enfrentá-la? Como podemos nos tornar dignos de receber dons espirituais? (Ver atividade complementar 1.) Como podemos desenvolver esses dons? (Por meio do estudo, do serviço ao próximo e da atenção que damos aos sussurros do Espírito Santo.) (Ver atividade complementar 2.)

• Quem apareceu a Salomão em um sonho? (I Reis 3:5) O que Salomão foi ordenado a fazer? O que Salomão pediu? (I Reis 3:9; II Crônicas 1:10) Por que era tão importante para Salomão ter sabedoria e um coração entendido? Por que essas coisas deveriam ser importantes para nós?

• O que o Senhor achou do pedido de Salomão? (I Reis 3:10) Diga que agradou a Deus o fato de Salomão ter pedido dons espirituais em lugar de riquezas ou a satisfação de desejos egoístas. Além do que Salomão havia pedido, o que mais o Senhor lhe deu? (I Reis 3:11–14)

• O que fez com que o rei Salomão ficasse famoso em todo o país e entre outras nações? (I Reis 4:29–30, 34) Por que isso tinha mais importância que ser conhecido por causa de sua riqueza e poder? Por que qualidade semelhante às de Cristo vocês gostariam de ser conhecidos entre sua família e amigos? O que vocês podem fazer para desenvolver essa qualidade? (Ver atividade complementar 2.)

• Devido à sabedoria e entendimento de Salomão, que lhe permitiam julgar com eqüidade, o povo levava seus problemas a ele. Numa dessas ocasiões, duas mulheres diziam ser a mãe de uma só criança. Por quê? (I Reis 3:16–22) Como a sabedoria de Salomão lhe permitiu descobrir quem era a mãe verdadeira? (I Reis 3:24–27; o entendimento de Salomão ajudou-o a saber o que a mãe do bebê sentia.) O que outras pessoas sentem quando vocês são grosseiras e incompreensivas com elas? Alguma vez vocês já ajudaram alguém demonstrando bondade e compreensão para com ele? Alguma vez alguém os ajudou agindo dessa forma?

• O que vocês acham que é ter “largueza de coração”? (I Reis 4:29; demonstrar amor a todos e ser bom e generoso com o próximo.) Como podemos demonstrar “largueza de coração” para com nossa família? Como podemos fazer o mesmo em relação a nossos amigos?

• O que Salomão conseguiu realizar graças ao Senhor tê-lo abençoado com sabedoria e entendimento? (I Reis 3:27–28; I Reis 5–8) Diga que Salomão fez muitas coisas boas durante seu reinado. O Senhor permitiu que ele construísse um templo em Jerusalém, com os melhores materiais disponíveis, que seu pai, Davi, havia ajuntado para esse fim. (Ver atividade complementar 3.) Salomão partilhou de sua sabedoria com os outros. Muitas das coisas sábias que disse estão registradas no livro dos Provérbios, na Bíblia. (Ver atividade complementar 4.)

A despeito dessas realizações, Salomão veio a afastar-se de Deus. Ele usou as riqueza e sabedoria que tinha para aumentar sua glória. Além disso, ele casou-se com mulheres que não eram do convênio. Elas adoravam ídolos e persuadiram Salomão a adorá-los também. Saliente que devemos usar os dons que recebemos do Senhor para glorificá-Lo e servir aos outros. Fale de como é importante usarmos esses dons corretamente, não somente na juventude, mas por toda a vida.

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. Escreva conhecimento, sabedoria e coração entendido no quadro-negro. Faça um debate sobre o significado de cada uma dessas palavras. Diga que o conhecimento é conseguido por meio de estudo ou da experiência, que sabedoria é utilizarmos, da melhor maneira possível, o que aprendemos e que um coração entendido torna possível sabermos como as outras pessoas estão se sentindo.

    Peça às crianças que sugiram situações em que poderiam pedir ao Pai Celestial para abençoá-las com conhecimento, sabedoria ou com um coração entendido. Por exemplo:

    • O irmão mais novo está machucado ou com medo.

    • Um amigo o magoou.

    • Alguém que está com problemas lhe pede um conselho.

    Ajude as crianças a compreenderem que elas poderão receber esses dons se os buscarem e viverem dignamente.

  2. Utilize as idéias, anotadas no quadro-negro, de coisas que as crianças pediriam. (Ver a atividade motivadora.) Se elas representarem dons espirituais, faça um debate sobre como desenvolver e usar esses dons. Se parte das idéias ou todas elas forem de coisas terrenas, antes de começar o debate, peça às crianças que sugiram dons espirituais para substituir o que está escrito no quadro.

  3. Diga que Davi, pai de Salomão, quis construir um templo, mas esse privilégio foi-lhe negado. Em vez de Davi, Salomão foi escolhido pelo Senhor para dirigir os sete anos de construção. O templo era muito requintado (grande parte dele era revestida de ouro) e quando ficou pronto os sacerdotes levaram a arca da aliança, em que estavam as duas tábuas de pedra que o Senhor deu a Moisés, para o templo e a colocaram no “lugar santíssimo”. (I Reis 8:6) Depois disso a glória do Senhor encheu o templo (ver I Reis 8:10–11) e Salomão fez a oração dedicatória. (Ver I Reis 8:22–53.)

    Mostre a gravura “Pia Batismal do Templo” [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 504]. Diga que, atualmente, todos os templos têm uma pia batismal assentada sobre doze bois, semelhante àquela do templo de Salomão. Na época desse rei, a pia batismal do templo era usada para batizar os vivos, nos templos de hoje, ela é usada para fazermos batismos pelos mortos. 4. Peça às crianças que encontrem o livro dos Provérbios na Bíblia. Expliquelhes que a maioria desses provérbios (ou dizeres sábios) foram escritos por Salomão e, como ele tinha grande sabedoria, suas palavras podem ajudarnos hoje.

    Escolha algumas destas passagens do livro dos Provérbios e anote a letra de cada uma em um papel. Coloque os papéis em uma caixa e peça às crianças que se revezem sorteando uma letra. Leia o provérbio ou peça às crianças que o encontrem na Bíblia e leiam. Ajude-as a explicar, com as próprias palavras, o que ele diz. Depois, ajude-as a descobrir como aplicá-lo a si mesmas. Se elas quiserem podem marcar os provérbios que preferirem na própria Bíblia.

    1. “(…) ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe, (…)” (1:8)

    2. “(…) se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.” (1:10)

    3. “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos e ele endireitará as tuas veredas.” (3:5–6)

    4. Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento (…)” (3:13)

    5. “Os lábios mentirosos são abomináveis ao Senhor, mas os que agem fielmente são o seu deleite.” (12:22)

    6. “A resposta branda desvia o furor (…)” (15:1)

    7. “O coração alegre aformoseia o rosto (…)” (15:13)

    8. “O Senhor está longe dos ímpios, mas a oração dos justos escutará.” (15:29)

    9. “Quão melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! (…)” (16:16)

    10. “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.” (16:18)

    11. “As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos.” (16:24)

    12. “Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso (…)” (16:32)

    13. “Em todo o tempo ama o amigo (…)” (17:17)

    14. “O coração alegre é como o bom remédio (…)” (17:22)

    15. O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio.” (20:1)

    16. “Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações, se a sua obra é pura e reta.” (20:11)

    17. “Porque, como imaginou no seu coração assim é ele.(…)” (23:7)

    18. “Não digas: Como ele me fez a mim, assim o farei eu a ele (…)” (24:29)

    19. “O homem fiel será coberto de bênçãos (…)” (28:20)

    20. “(…) o que confia no Senhor será posto em alto retiro.” (29:25)

    Ajude as crianças a escolher um provérbio e anotá-lo ou decorá-lo para ler ou recitar para a família.

  4. Cante ou leia “Amai-Vos Uns aos Outros” (Músicas para Crianças, p. 74; ou Hinos, nº 197) ou “Dom Precioso” (Cante Comigo, B–1).

    Dom Precioso

    Dom precioso é a bondade

    que traz felicidade

    Pois quando sou bondoso sou feliz.

Conclusão

Testemunho

Expresse reconhecimento por atos de bondade e compreensão para com outras pessoas que as crianças tenham praticado. Testifique-lhes que, à medida que elas desenvolverem a capacidade de ser sábias e compreensivas (ter um coração entendido) com a família e os amigos, irão tornar-se mais semelhantes ao Salvador.

Sugestão de Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversar com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou ler a “Designação de Leitura Sugerida” em família.

Designação de Leitura Sugerida

Sugira às crianças que estudem, em casa, I Reis 3:5–28 para recapitularem a lição.

Convide uma criança para fazer a última oração.