Lição 24

Gideão

Primária 6: Velho Testamento


Propósito

Ensinar às crianças o valor da confiança no Senhor.

Preparação

  1. Em espírito de oração, estude:

  2. Estude a lição e decida como pretende ensinar às crianças as histórias das escrituras. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Escolha as perguntas do debate e as atividades complementares que mais ajudem as crianças a alcançarem o propósito da aula.

  3. Em papéis diferentes, escreva diversas perguntas como estas: (Ver atividade motivadora.)

    Minha irmãzinha rabiscou meu livro. O que eu faço? Como posso demonstrar respeito por meus pais? Por que eu devo manter a casa limpa? Devo confiar em um amigo que já mentiu para mim?

  4. Material necessário:

    1. Uma Bíblia para cada criança.

    2. Gravura 6–31: Gideão Derrota os midianitas.

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Peça a uma criança para sentar-se em uma cadeira, de frente para a classe.

Diga que ela será o juiz. Dê a todas as outras crianças uma pergunta que devem fazer ao juiz. (Ver a seção “Preparação”.) Peça que o juiz responda a todas as perguntas.

Explique-lhes que, depois de Josué, Israel deixou de ter um único governante. Em vez disso passaram a ter juízes, que davam conselhos, tomavam decisões e comandavam o exército. Esses juízes só eram bem-sucedidos quando confiavam na orientação do Senhor.

História das Escrituras

Ensine às crianças a história de Gideão, que foi um dos juízes de Israel, de acordo com as escrituras relacionadas na seção “Preparação”. (Para sugestões de como ensinar a história das escrituras, ver “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Explique-lhes que os midianitas, amalequitas e outros povos mencionados nas escrituras viviam em Canaã, ou nos arredores, e tinham os israelitas como inimigos. Use a gravura quando for oportuno.

Debate

Ao preparar a aula, estude as seguintes perguntas e referências de escrituras. Use as perguntas que mais ajudem as crianças a entender as escrituras e aplicar os princípios em sua vida. Ler e discutir as escrituras durante a aula irá ajudá-las a chegar a seus próprios pontos de vista a respeito do assunto.

• O que os midianitas e outros grupos de pessoas faziam contra os israelitas? (Juízes 6:3–6) Por que o Senhor não ajudava Israel a resolver esses problemas? (Juízes 6:1, 8–10) Citem outros motivos pelos quais o Senhor não resolve nossos problemas. (Ver atividade complementar 4.)

• O que Gideão perguntou ao anjo que lhe apareceu? (Juízes 6:12–13) De que forma as provações que os israelitas tiveram os ajudaram a voltar-se para o Senhor? (Juízes 6:6)

• De acordo com a palavra do Senhor, quem salvaria Israel dos midianitas? (Juízes 6:14, 16) Qual foi a reação de Gideão quando o anjo do Senhor lhe disse que ele salvaria Israel? (Juízes 6:15) Das pessoas sobre as quais estudamos este ano, quem mais se sentiu como Gideão? Lembre às crianças a história de Enoque (Moisés 6:31) e a de Moisés (Êxodo 3:11; 4:10). Que qualidades de Gideão o ajudariam a cumprir esse chamado? (Juízes 6:12; ele viveu de modo a poder ser orientado e guiado pelo Senhor.)

• O que o Senhor disse a Gideão que fizesse com o altar de Baal, que seu pai havia construído, e com o bosque que ficava junto a ele? (Juízes 6:25–26; explique-lhes que o pai de Gideão, assim como outras pessoas, adoravam falsos deuses e pecavam ao usar o altar de Baal e o bosque.)

• O que Joás disse aos que quiseram matar Gideão, seu filho? (Juízes 6:31; diga que, apesar de ter adorado Baal, Joás percebeu que se Baal fosse verdadeiramente um deus, teria poder para defender o próprio altar.)

• Para ter certeza de que o Senhor estaria a seu lado, o que Gideão pediu-Lhe que fizesse com o novelo de lã? (Juízes 6:37–40; explique-lhes que Gideão não buscava um sinal de que o Pai Celestial era o Deus verdadeiro, mas precisava certificar-se de que o Senhor estaria com ele na batalha.) Por que vocês acham que, na segunda noite, Gideão inverteu o sinal? (Para ter absoluta certeza de que aquilo havia acontecido por obra de Deus e não por causa de um fenômeno da natureza, nem por acaso.)

• Um exército de 32.000 homens havia sido reunido para combater os midianitas, mas o Senhor quis que só 300 lutassem. O que Gideão deveria fazer para reduzir o exército? (Juízes 7:3, 5–7) Por que o Senhor queria apenas 300 homens? (Juízes 7:2; explique-lhes que gloriar-se quer dizer vangloriar-se, gabar-se. O Senhor queria que os israelitas confiassem Nele e não na própria força.) Gideão podia estar tendo sua fé provada com isso? Como? O que vocês sentiriam se estivessem em uma situação dessas e tivessem um exército tão pequeno quanto o de Gideão?

• De que forma as instruções do Senhor ajudaram os israelitas a derrotar os midianitas? (Juízes 7:20; os midianitas ficaram confusos e, na escuridão, mataram-se mutuamente.) Saliente que eles foram bem-sucedidos, porque os homens de Gideão seguiram suas instruções meticulosamente e ele seguiu, com exatidão, todas as instruções do Senhor. (Ver atividade complementar 3.) Que bênçãos recebemos por obedecer aos mandamentos do Pai Celestial?

• Quando os homens de Israel quiseram que Gideão se tornasse o rei, por quem Gideão disse que eles deviam ser governados? (Juízes 8:23) A quem devemos seguir? Quem dirige a Igreja atualmente? Diga que temos um profeta e outros líderes que foram escolhidos por Deus para ensinar-nos, mas que é Jesus Cristo o cabeça da Igreja.

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

  1. Debata esta declaração com as crianças:

    “Podemos fortalecer-nos com o exemplo de Gideão. Vocês irão lembrar-se de como Gideão e seu exército enfrentaram a força devastadora de tropas que lhes eram muito superiores em número e muito melhor equipadas. (…) O resultado dessa grande batalha está registrado em uma frase curta: ‘E conservou-se cada um no seu lugar (…)’ (Juízes 7:21) e conquistaram a vitória.

    Hoje estamos acampados para lutar contra as maiores tropas do pecado, vício e do mal já vistas. Inimigos tão formidáveis podem fazer os menos corajosos encolherem-se e fugirem à luta. Mas o plano de batalha que seguimos na luta para salvar a alma dos homens não é nosso. Foi recebido (…) por inspiração e revelação do Senhor. (…) Oro para que todos permaneçamos em nosso lugar para que a batalha pela alma dos homens seja vencida.” (Thomas S. Monson. “Correlation Brings Blesings”, Relief Society Magazine, abril de 1967, pp. 246–247.)

    Pense em várias dificuldades que as crianças da classe precisam enfrentar e que podem ser consideradas como batalhas da vida. (Por exemplo: ser tentado a fumar um cigarro, ou saber que, bem na hora das reuniões da Igreja, a TV vai estar apresentando um jogo de seu time.) Jogue o saquinho de feijão para uma criança. Mencione uma das batalhas da vida. Peça-lhe que diga qual seria o plano de batalha do Senhor e, depois, jogue o saquinho de volta para você. Continue da mesma maneira até que todas as crianças tenham participado. Incentive-as a seguir o plano do Senhor sempre que surgir uma situação dessas.

  2. Escreva as palavras desta citação em folhas separadas e grandes: “E conservou-se cada um no seu lugar (…)”. (Juízes 7:21)

    Distribua os papéis ao acaso. Peça às crianças que fiquem de pé e coloquem-se de modo que a frase possa ser lida na seqüência correta. (Se a turma for pequena, algumas crianças receberão dois papéis seguidos.) Saliente a importância de cada pessoa ficar no lugar certo, como fizeram os homens de Gideão, para conseguirem fazer o que o Senhor deseja delas.

    Fale de situações em que estamos no lugar certo, como quando freqüentamos a Igreja todas as semanas, em vez de permanecermos em lugares onde existam tentações, etc.

  3. Peça às crianças que fiquem de pé enquanto você lhes dá instruções para girar, levantar a mão direita e etc. Peça-lhes que façam uma lista das instruções que Gideão recebeu. (Ver Juízes 6:25–26 e 7:3–6.) Diga que Gideão e seu exército tiveram êxito porque ele seguiu as instruções com precisão. Saliente que há ocasiões em que se pede que façamos coisas que parecem pouco importantes ou sem sentido. Quando os líderes da Igreja ou nossos pais agem retamente e nos dizem para fazer algo, devemos ser obedientes e ter fé que o que nos foi pedido é importante e justo.

    Se quiser, repita a atividade e escolha para comandá-la uma criança que tenha obedecido a suas ordens com exatidão.

  4. Peça às crianças que citem motivos que expliquem por que o Pai Celestial nos prova. (Por exemplo: enfrentar provas nos ajuda a nos tornarmos mais fortes e valentes, a nos tornarmos humildes e nos voltarmos para Deus; elas são parte da vida mortal: são conseqüências do pecado ou de escolhas erradas, etc.) Fale de uma experiência pessoal adequada, em que uma provação lhe tenha feito crescer. Explique-lhes que o Senhor talvez não resolva nossos problemas, mas se confiarmos Nele, irá abençoar-nos com força e alento.

  5. Cante ou leia “Eu Quero Viver o Evangelho” (Músicas para Crianças, p. 72) ou “Guarda os Mandamentos” (Músicas para Crianças, p. 68).

Conclusão

Testemunho

Preste testemunho da importância de confiarmos no Senhor e em Seus servos escolhidos. Incentive as crianças a escutarem ao profeta e obedecerem aos mandamentos com tanto zelo quanto Gideão.

Sugestão para Atividade com a Família

Incentive as crianças a conversar com a família a respeito de uma parte específica da lição, como, por exemplo, uma história, pergunta ou atividade, ou ler a “Designação de Leitura Sugerida” em família.

Designação de Leitura Sugerida

Sugira às crianças que estudem, em casa, Juízes 6:12–16 e 7:15–22 para recapitularem a lição.

Convide uma criança para fazer a última oração.