Lição 37

Jesus Cristo: “Autor e Consumador de Nossa Fé”

O Novo Testamento: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho


Objetivo

Lembrar aos alunos que a salvação advém da fé em Jesus Cristo e da obediência a Seus mandamentos.

Preparação

  1. Leia e pondere as seguintes escrituras e ore a respeito delas:

    1. Hebreus 1–4. Paulo testifica que Jesus Cristo, o Unigênito do Pai Celestial, é nosso Salvador.

    2. Hebreus 5; 6:20; 7. Paulo explicou que o Sacerdócio de Melquisedeque faz parte da plenitude do evangelho.

    3. Hebreus 8:1–10:18. Paulo ensina que a lei de Moisés era o antigo convênio entre Deus e Seus filhos, ao passo que o evangelho de Jesus Cristo é o novo convênio. O antigo convênio era uma sombra, ou imagem, do novo convênio, mas apenas o novo convênio tem o poder de salvar.

    4. Hebreus 10:19–11:40. Paulo exorta os santos a exercerem fé em Jesus Cristo para que possam herdar um lugar no reino de Deus.

  2. Leitura adicional: Hebreus 6; 12–13; Guia para Estudo das Escrituras: “Epístolas Paulinas: Filipenses, Colossenses, Efésios, Filemom, Hebreus”, p. 69.

  3. Sugestão didática: tome cuidado para não se tornar um discursante. Às vezes será necessário que apresente uma aula expositiva, mas esse método perderá sua eficácia se for o único a ser utilizado. Depois de fornecer informações ou explicar um princípio, sempre dê oportunidade aos alunos para que respondam e comentem. (Ver Ensino — Não Há Maior Chamado, p. 126.)

Sugestão para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, utilize a seguinte atividade ou uma de sua escolha para começar a lição.

Descreva as seguintes situações e peça aos alunos que encontrem uma escritura que possa ser usada em cada uma dessas situações. (Algumas escrituras sugeridas foram fornecidas entre parênteses.)

  1. Uma criança que você conhece acabou de aprender na Primária que Jesus Cristo criou o mundo e quer saber onde isso está explicado nas escrituras. (Hebreus 1:2; João 1:1–3, 10; Efésios 3:9; Mosias 3:8)

  2. Uma amiga está tendo problemas pessoais e não consegue imaginar como o Salvador pode preocupar-se com ela pessoalmente ou compreender pelo que ela está passando. (Hebreus 2:6–8, 18; 2 Néfi 1:15; Alma 7:11–12)

  3. Um amigo não-membro tem dúvidas se é realmente necessário que a pessoa tenha o sacerdócio para realizar batismos e outras ordenanças. (Hebreus 5:1, 4; Êxodo 28:41; João 15:16)

Peça a um ou dois alunos que leiam as escrituras que escolheram para cada situação. Diga que a carta de Paulo aos hebreus contém escrituras que poderiam ser úteis em cada uma dessas três situações. Peça aos alunos que procurem identificar essas escrituras durante a aula sobre o livro de Hebreus.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Ao ensinar as seguintes passagens das escrituras, discuta como elas podem ser colocadas em prática na vida diária. Incentive os alunos a contarem experiências que estejam relacionadas com os princípios encontrados nas escrituras.

Explique-lhes que durante todas as suas viagens missionárias, Paulo procurou convencer os membros da Igreja que não precisavam mais seguir a lei de Moisés. Embora os judeus cristãos tivessem aprendido que a salvação vinha por meio da fé em Jesus Cristo, muitos ainda acreditavam que a obediência à lei de Moisés era essencial à salvação. Paulo escreveu a epístola aos Hebreus para novamente enfatizar que a lei de Moisés havia sido cumprida em Cristo.

1. Jesus Cristo, o Filho Unigênito do Pai, é nosso Salvador.

Discuta Hebreus 1–4. Peça aos alunos que leiam alguns versículos.

• O que aprendemos a respeito de Jesus Cristo em Hebreus 1? (Relacione as respostas dos alunos no quadro-negro. As respostas podem incluir as alistadas abaixo.)

  1. Ele criou o mundo. (Versículos 2, 10)

  2. Ele é a expressa imagem de Deus, o Pai. (Versículo 3)

  3. Ele expiou por nossos pecados. (Versículo 3)

  4. Ele é o Filho Primogênito de Deus, o Pai. (Versículos 5–6)

  5. Sua glória e poder são eternos e imutáveis. (Versículos 8, 12)

• Paulo disse que o filho de Deus, que foi “feito tanto mais excelente do que os anjos” (Hebreus 1:4), tinha também sido “feito um pouco menor do que os anjos”. (Hebreus 2:9) De que modo Jesus foi “feito um pouco menor do que os anjos”? (Ver Mosias 13:34–35. Ele veio à Terra como mortal e tornou-se sujeito à dor e à morte.) Por que isso foi necessário? (Ver Hebreus 2:9–10, 16–18; 4:15–16; ver também Mateus 23:10–11.)

• Paulo incentivou os santos a viverem de modo justo para poderem entrar no descanso do Senhor. (Hebreus 3:7–19; 4:1–11) O que significa entrar no descanso de Deus? (Ver D&C 84:23–24; 3 Néfi 27:19.) O que Paulo explicou a respeito do motivo pelo qual alguns dos filhos de Israel da época de Moisés não puderam entrar no descanso de Deus? (Ver Hebreus 3:7–11, 16–19; 4:1–2.) Como podemos ajudar uns aos outros a tornar-nos dignos de entrar no descanso de Deus? (Ver Hebreus 3:13–14; 4:11; Alma 13:12–13, 16.)

2. O Sacerdócio de Melquisedeque faz parte da plenitude do evangelho.

Leia e discuta alguns versículos de Hebreus 5; 6:20; 7.

• O que Paulo ensinou a respeito de como um homem precisa receber e usar a autoridade do sacerdócio? (Ver Hebreus 5:1–4.) Por que um portador do sacerdócio precisa ser “chamado por Deus” e não “[tomar] para si esta honra”?

• Que autoridade do sacerdócio estava associada à lei de Moisés? (O Sacerdócio Aarônico, também chamado de sacerdócio levítico, menor ou preparatório. Ver D&C 84:25–27.) Que autoridade do sacerdócio possuía Jesus? (Ver Hebreus 5:5–6; 6:20.) Explique-lhes que quando Jesus veio e cumpriu a lei de Moisés, Ele restaurou o Sacerdócio de Melquisedeque. Por que isso era necessário? (Ver Hebreus 7:11. O Sacerdócio Aarônico não possui a autoridade para realizar todas as ordenanças necessárias à salvação.)

“A lei mosaica ou o sacerdócio de Aarão, que administrava a lei, não era capaz de fazer os filhos de Deus alcançarem a perfeição. O Sacerdócio Aarônico possui uma autoridade menor e administra somente o evangelho preparatório. O Sacerdócio de Melquisedeque, por outro lado, é o sacerdócio maior, comissionado a ministrar as ordenanças do evangelho em sua plenitude, capaz de purificar a nossa vida, para que possamos entrar na presença de nosso Senhor.” (Vida e Ensinamentos de Jesus e Seus Apóstolos, Manual do Sistema Educacional da Igreja, p. 424; ver também D&C 107:18–20.)

• Por que chamamos o Sacerdócio de Melquisedeque de sacerdócio maior? (Ver D&C 107:2–4.) De que modo os membros da Igreja são abençoados atualmente por possuírem o Sacerdócio de Melquisedeque além do Sacerdócio Aarônico? De que modo o sacerdócio abençoou a vida de vocês?

3. O evangelho de Jesus Cristo é o novo convênio entre Deus e Seus filhos.

Leia e discuta alguns versículos de Hebreus 8:1–10:18. Explique-lhes que Paulo lembrou os membros da Igreja que a adoração sob a lei de Moisés prenunciara o Senhor Jesus Cristo.

• De acordo com Hebreus 8:5, o que o Senhor ordenou que Moisés fizesse enquanto construía o tabernáculo que seria usado pelos israelitas para a adoração? (Explique-lhes que as cerimônias realizadas no tabernáculo simbolizavam “coisas celestiais”, conforme mostrado abaixo.)

Ordenança do tabernáculo:

O que simbolizava:

a. Os sacerdotes ofereciam animais como sacrifício a Deus. (Hebreus 10:1-4, 11)

Jesus ofereceu-Se em sacrifício pelos nossos pecados. (Hebreus 9:26-28; 10:4-12)

b. Os sacerdotes colocavam o sangue dos animais sacrificados no altar para simbolizar a purificação do povo. (Hebreus 9:6-7, 19-23)

O sangue de Jesus, derramado na Expiação, limpa e purifica-nos do pecado. (Hebreus 9:11-15)

c. O sumo sacerdote entrava no santuário, passando pelo véu. (Hebreus 9:1-7)

Jesus, o grandioso sumo sacerdote, atravessou o véu e entrou no próprio céu. (Hebreus 9:24)

• Paulo explicou que a lei de Moisés era o velho convênio entre Deus e Seu povo. (Hebreus 8:9; ver também Gálatas 3:24–25.) Qual é o novo convênio trazido por Jesus Cristo? (Hebreus 8:6–8, 10–13. A plenitude do evangelho.) Diga que o velho convênio é descrito no Velho Testamento da Bíblia, enquanto que o novo convênio é descrito no Novo Testamento.)

• Por que o velho convênio não era capaz de tornar perfeitos aqueles que dele participavam? (Ver Hebreus 10:1–4.) Por que o novo convênio nos dá maior esperança de alcançarmos a perfeição? (Ver Hebreus 10:9–18.)

4. Aqueles que exercem fé em Jesus Cristo herdarão um lugar no reino de Deus.

Leia e discuta alguns versículos de Hebreus 10:19–11:40. Diga que depois de Paulo ter explicado as maneiras pelas quais a plenitude do evangelho é uma lei mais alta e mais completa que substitui a lei de Moisés, ele exortou os santos a seguir esse “novo e vivo caminho”, depositando sua fé em Jesus Cristo. (Hebreus 10:19–22)

• Qual é o primeiro, ou mais básico, princípio do evangelho? (Ver Regras de Fé 1:4.) O que é fé? (Ver Hebreus 11:1; Alma 32:21; Éter 12:6.) De que modo a fé é superior à crença? Por que a fé em Jesus Cristo é essencial a nossa salvação?

• Paulo deu exemplos de pessoas que realizaram coisas grandiosas por meio da fé em Jesus Cristo. Quem ele mencionou? (Ver Hebreus 11:4–12, 17–34.) Escreva no quadro-negro os nomes mencionados e discuta como as ações de cada uma dessas pessoas exigiram fé.

Divida os alunos em pequenos grupos para esta parte da discussão. Designe cada grupo a ponderar algumas das pessoas mencionadas em Hebreus 11. Dê alguns minutos aos grupos para discutirem como as ações dessas pessoas exigiram fé e depois peça a cada grupo que apresente suas conclusões à classe.

• Paulo também ensinou que a fé pode ajudar-nos em momentos de adversidade ou oposição. (Hebreus 11:32–38) De que modo a fé ajudou-os a lidar com a adversidade? Que outras bênçãos vocês (ou pessoas que vocês conhecem) receberam por exercer fé em Jesus Cristo?

Conclusão

Explique-lhes que somos abençoados por viver em uma época em que a plenitude do evangelho está a nosso alcance. Testifique-lhes que a salvação vem por meio da fé em Jesus Cristo e da obediência a Seus mandamentos. Incentive os alunos a guardarem os convênios e mandamentos do evangelho restaurado.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a aula. Você pode usar uma dessas sugestões, ou ambas, como parte da lição.

1. Deus cumprirá Suas promessas.

• O que Hebreus 6:10–19 ensina a respeito das promessas de Deus a Seus filhos? O que o versículo 15 ensina a respeito da relação entre suportar as provações e receber as promessas de Deus? (Ver também D&C 82:10.) Que experiências vocês já tiveram com o recebimento das promessas feitas por Deus?

2. “O Senhor corrige o que ama” (Hebreus 12:6)

Peça aos alunos que leiam Hebreus 12:5–11.

• De que maneira o Senhor nos corrige? De que modo a correção recebida do Senhor é “para nosso proveito”? (Ver Hebreus 12:10; D&C 61:8; 95:1; 101:5.) Como podemos usar a correção como oportunidade de aprendizado e crescimento? Peça aos alunos que relatem ocasiões em que o Senhor os corrigiu e o que aprenderam com essa experiência.