Lição 30

“Deus Não Faz Acepção de Pessoas”

O Novo Testamento: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho


Objetivo

Ajudar os alunos a reconhecerem que o evangelho é para todas as pessoas e que a Igreja é guiada por revelação contínua.

Preparação

  1. Leia e pondere as seguintes escrituras e ore a respeito delas:

    1. Atos 10:1–11:18. Um anjo aparece a Cornélio em uma visão e instrui-o a mandar chamar o Apóstolo Pedro. Pedro fica sabendo por meio de uma visão que o evangelho deve ser pregado aos gentios (as pessoas que não são judias). Ele vai a Cesaréia para ensinar Cornélio e sua família e amigos. O Espírito Santo cai sobre Cornélio e sobre outras pessoas, e eles são batizados. Alguns membros da Igreja criticam Pedro por ensinar gentios, mas depois que ele conta sua visão, eles a aceitam como revelação para a Igreja.

    2. Atos 12. O rei Herodes mata Tiago e prende Pedro. Os santos oram para que Pedro seja libertado, e um anjo do Senhor o liberta. Herodes é ferido por um anjo do Senhor e morre.

    3. Atos 13–14. Saulo (que passou a chamar-se Paulo) e Barnabé fazem sua primeira viagem missionária, estabelecendo a Igreja entre os gentios em várias cidades.

    4. Atos 15:1–35. Alguns santos judeus ensinam que os gentios que se filiam à Igreja precisam cumprir a lei de Moisés, inclusive a circuncisão para os homens. Os Apóstolos determinam que isso não é exigido pelo Senhor.

  2. Leitura adicional: Guia para Estudo das Escrituras, “Circuncisão”, p. 38; “Cornélio”, p. 46.

  3. Se houver um mapa da primeira viagem missionária de Paulo disponível (mapa 6 do Guia para Estudo das Escrituras), utilize-o durante a lição.

  4. Sugestão didática: O Élder Gordon B. Hinckley disse: “Seus alunos merecem mais do que apenas o conhecimento que você possui. Eles merecem sua inspiração e anseiam por ela. Querem um cálido relacionamento pessoal. Essa sempre foi a marca do grande professor”. (Conference Report, outubro de 1965, p. 52; ou Improvement Era, dezembro de 1965, p. 1124.) Pondere em espírito de oração como poderá desenvolver e demonstrar amor a cada um dos seus alunos. (Ver Ensino — Não Há Maior Chamado, pp. 6–7, 29, 167.)

Sugestão para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, utilize a seguinte atividade ou uma de sua escolha para começar a lição.

Dê as seguintes pistas, uma por vez, e peça aos alunos que descubram a qual acontecimento importante da história da Igreja elas se referem:

  1. Revelação

  2. 8 de junho de 1978

  3. Presidente Spencer W. Kimball

  4. Sacerdócio

  5. Declaração Oficial 2 Peça aos alunos que abram as escrituras na Declaração Oficial 2 (que se encontra no final de Doutrina e Convênios) e leiam para si mesmos o segundo parágrafo (que começa com “No início de junho”). Diga que a Declaração Oficial 2 é o registro da revelação que estendeu o sacerdócio a todos os homens dignos da Igreja.

Se alguém na classe se lembrar do dia em que a revelação foi anunciada, convideo a descrever o que sentiu quando recebeu essa notícia.

• Quem estendeu o sacerdócio a todo homem digno da Igreja? (O Senhor.) Como o Senhor revelou Sua vontade à Igreja? (Ele a revelou ao profeta, que a anunciou a todos os membros da Igreja.) Como essa revelação afetou a Igreja?

Explique-lhes que essa revelação é um exemplo de como o Senhor continua a dirigir Sua Igreja por meio da revelação. Esta lição discute uma revelação semelhante que foi dada aos membros da Igreja pouco depois da Ressurreição de Jesus Cristo.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Ao ensinar as seguintes passagens das escrituras, enfatize a importância da revelação contínua do Senhor para Sua Igreja. Incentive os alunos a compartilharem seu testemunho da revelação contínua.

1. Pedro fica sabendo por meio de uma visão que o evangelho deve ser pregado aos gentios.

Discuta Atos 10:1–11:18. Peça aos alunos que leiam alguns versículos.

• Que tipo de homem era Cornélio? (Ver Atos 10:1–2, 30–31. Era um homem justo que acreditava em Deus, mas era gentio, ou seja, não judeu.) Qual foi a mensagem do anjo a Cornélio? (Ver Atos 10:3–6.) Como agiu Cornélio ao receber essa mensagem? (Ver Atos 10:7–8, 33.) Por que é importante agirmos imediatamente quando recebemos instruções ou inspiração de Deus?

• Enquanto os soldados de Cornélio viajavam para Jope, Pedro teve uma visão. (Atos 10:9–16) O que Pedro viu nessa visão? (Ver Atos 10:11–12.) O que Pedro foi instruído a fazer? (Ver Atos 10:13.) Por que Pedro hesitou? (Ver Atos 10:14. Ele não queria comer animais que eram considerados imundos pela lei de Moisés.) O que o Senhor disse com respeito à preocupação de Pedro? (Ver Atos 10:15–16.)

• Ao encontrar-se com Cornélio, Pedro compreendeu o sonho que tivera. Qual era seu significado? (Ver Atos 10:28, 34–35. O evangelho era para todas as pessoas, não apenas para os judeus. Diga que “Deus não faz acepção de pessoas” significa que Deus irá proporcionar a oportunidade para que toda pessoa receba as bênçãos a que temos acesso por meio do plano de salvação.) Por que os gentios foram representados no sonho por animais imundos? (Os judeus achavam que os gentios eram espiritualmente indignos ou impuros, como os animais que a lei de Moisés proibia os judeus de comer. Ao dizer que os animais do sonho tinham sido “purificados”, o Senhor estava dizendo a Pedro que o evangelho deveria passar a ser pregado a todas as pessoas.)

• Depois que Pedro explicou seu sonho, ele começou a ensinar Cornélio e seus amigos. O que ele ensinou em seu primeiro sermão a eles? (Ver Atos 10:36–43.) O que aconteceu enquanto Pedro estava pregando? (Ver Atos 10:44, 46.) Por que isso convenceu Pedro de que Cornélio e seus amigos deveriam ser batizados? (Ver Atos 10:47–48; ver também Atos 11:15–17.)

• De que maneira alguns membros da Igreja reagiram ao saberem que Pedro estivera ensinando o evangelho a gentios? (Ver Atos 11:1–3.) Por que esses membros ficaram incomodados? (Não consideravam os gentios como parte do povo escolhido de Deus.)

• De que modo a opinião dos membros da Igreja mudou depois que Pedro lhes contou sua visão e sua experiência na casa de Cornélio? (Ver Atos 11:4–18.) O que devemos fazer quando recebemos novas instruções dos líderes da Igreja, mesmo que a princípio não gostemos delas ou as consideremos difíceis de compreender? (Ver João 7:17; 2 Néfi 28:30; D&C 6:11, 14–15.)

• Por que Pedro foi quem recebeu a revelação de que o evangelho deveria ser pregado aos gentios? (Ele era o líder da Igreja na época.) Quem recebe atualmente revelação para toda a Igreja? Por que é importante que tenhamos uma única pessoa que receba revelação por toda a Igreja? (Ver D&C 43:2–6.)

2. Pedro é milagrosamente libertado da prisão.

Leia e pondere alguns versículos de Atos 12.

• O rei Herodes mandou matar o Apóstolo Tiago, depois lançou Pedro na prisão e colocou-o sob a guarda de muitos soldados. (Atos 12:1–4) O que os membros da Igreja fizeram quando Pedro foi preso? (Ver Atos 12:5.) Como nossas orações ajudam o profeta e outros líderes da Igreja atualmente? (Ver D&C 43:12; 93:51; 107:22.)

O Presidente Joseph F. Smith declarou: “Não deveria passar-se um único dia sem que todos os membros da Igreja elevassem sua voz em oração ao Senhor, pedindo que amparasse os servos que designou para presidi-los”. (Doutrina do Evangelho, p. 202.)

• De que modo Pedro escapou da prisão? (Ver Atos 12:6–10.) Quais foram outras ocasiões em que o Senhor milagrosamente preservou a vida de alguém até que ele concluísse sua missão terrena? (Exemplos tirados das escrituras incluem: Daniel, Sadraque, Mesaque e Abednego; Abinádi; Alma e Amuleque; e Joseph Smith.)

• O que aconteceu ao rei Herodes depois da fuga de Pedro? (Ver Atos 12:21–23.) Compare o que aconteceu com Herodes com o que aconteceu à Igreja, conforme descrito no versículo seguinte. (Atos 12:24) De que modo vocês viram a Igreja florescer apesar dos esforços de algumas pessoas para destruí-la?

3. Saulo (que passou a se chamar Paulo) e Barnabé pregam o evangelho aos gentios.

Leia e discuta alguns versículos de Atos 13–14. Se estiver utilizando o mapa, aponte os lugares que Paulo e Barnabé visitaram enquanto fala a respeito deles.

• O que o chamado e Saulo e Barnabé mostra a respeito de como os membros da Igreja são chamados para o serviço de Deus? (Ver Atos 13:1–3. Discuta a necessidade de orar e jejuar, receber revelação e possuir a autoridade do sacerdócio para chamar membros para servir na Igreja.) Que experiências os ajudaram a saber que os chamados da Igreja são inspirados pelo Espírito?

• Os líderes da sinagoga de Antioquia convidaram Paulo para falar durante o serviço religioso da sinagoga. (Atos 13:14–15) Qual foi a principal mensagem de Paulo? (Ver Atos 13:23–31, 38–41.) Como os gentios de Antioquia receberam os missionários e sua mensagem? (Ver Atos 13:42–44, 48.) Por que alguns dos judeus perseguiram Paulo e Barnabé? (Ver Atos 13:45–47.)

• Como reagiu o povo de Listra quando Paulo curou o aleijado? (Ver Atos 14:8–13. Diga que Júpiter e Mercúrio eram deuses falsos que o povo adorava.) Como Paulo e Barnabé responderam a esse louvor e atenção? (Ver Atos 14:14–18.) Explique-lhes que os verdadeiros mestres da palavra de Deus sempre procuram glorificar a Deus e desviar a atenção das pessoas de si mesmos. Como vocês viram essa atitude ser demonstrada nos líderes atuais da Igreja?

• Em toda cidade visitada por Paulo e Barnabé, havia pessoas ansiosas por aceitar o evangelho, mas também pessoas que os perseguiram e incitaram os outros contra a Igreja. (Atos 13:43–45, 50; 14:1–6, 19) Por que Paulo e Barnabé voltaram a cada uma das cidades, mesmo tendo sido perseguidos nelas? (Ver Atos 14:21–23. Eles estabeleceram ramos da Igreja nas cidades e voltaram para incentivar e instruir os novos membros desses ramos.) O que podemos fazer para apoiar os novos membros de nossa ala ou ramo?

O presidente Gordon B. Hinckley disse: “Com o número crescente de conversos, precisamos de um esforço significativamente maior no sentido de ajudá-los a encontrar o rumo. Todos esses conversos precisam de três coisas: fazer um amigo, ter uma responsabilidade e ser nutridos ‘pela boa palavra de Deus’. (Morôni 6:4) Para nós, é um dever e uma oportunidade proporcionarlhes essas coisas”. (A Liahona, julho de 1997, p. 53.)

4. Os Apóstolos determinam que os gentios não precisam cumprir a lei de Moisés.

Leia e discuta alguns versículos tirados de Atos 15:1–35.

• Que controvérsia Paulo e Barnabé tiveram que resolver em Jerusalém? (Ver Atos 15:1–2; ver também Guia para Estudo das Escrituras, “Circuncisão”, p. 38. Diga que a circuncisão era um símbolo de toda a lei de Moisés. O homem circuncidado era aquele que guardava a lei. Embora Jesus Cristo tivesse cumprido a lei de Moisés, alguns judeus cristãos ainda a praticavam e queriam que os conversos gentios também o fizessem.) Como essa controvérsia foi resolvida? (Depois de longa discussão, os Apóstolos decidiram por inspiração a não exigir a circuncisão.)

• De que maneira os eventos descritos em Atos 15:6–31 mostram o padrão pelo qual são tomadas decisões acerca das normas e práticas da Igreja?

  1. Os líderes da Igreja se reúnem para ponderar o assunto. (Versículo 6)

  2. Eles discutem a questão minuciosamente. (Versículos 7–21)

  3. Eles tomam uma decisão de acordo com a vontade do Senhor. (Versículos 19–21)

  4. O Espírito Santo confirma que a decisão está correta. (Versículo 28)

  5. A decisão é anunciada aos santos para ser apoiada. (Versículos 22–31)

Conclusão

Testifique-lhes que a Igreja sempre foi guiada por revelação divina e que a revelação continua hoje em dia. Incentive os alunos a seguirem o conselho do profeta vivo e de outros líderes da Igreja.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a aula. Você pode usar esta sugestão como parte da lição.

A Igreja mundial

Para mostrar aos alunos como a Igreja cresceu, mostre um mapa-mundi. Aponte as áreas onde os membros da Igreja moravam na época de Cornélio (a atual Israel, Turquia, Grécia e regiões vizinhas). Em seguida, faça com que os alunos apontem as regiões onde hoje vivem membros da Igreja. Diga que no início de 1998, a Igreja tinha mais de dez milhões de membros morando em 162 países e territórios. Havia mais de 57.000 missionários trabalhando em 116 países, falando 45 línguas mais importantes e muitos dialetos adicionais. (Você poderá encontrar estatísticas mais recentes nas revistas da Igreja.)