Lição 22

“Possuí por Herança o Reino que Está Preparado para Vós”

O Novo Testamento: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho


Objetivo

Ajudar os alunos a prepararem-se para a Segunda Vinda por meio de uma vida em retidão, pelo desenvolvimento de seus talentos e pelo serviço ao próximo.

Preparação

  1. Leia e pondere as seguintes escrituras e ore a respeito delas:

    1. Mateus 25:1–13. Por meio da parábola das dez virgens, Jesus ensina que temos que preparar-nos para Sua Segunda Vinda.

    2. Mateus 25:14–30. Por meio da parábola dos talentos, Jesus ensina que devemos desenvolver os dons que recebemos de Deus.

    3. Mateus 25:31–46. Por meio da parábola das ovelhas e dos bodes, Jesus ensina que devemos estar dispostos a servir-nos uns aos outros.

  2. Se for utilizar a atividade motivadora, leve uma pequena jarra de vidro, um recipiente de óleo ou água colorida para a sala de aula e, se estiver disponível, a gravura A Segunda Vinda (Pacote de Gravuras do Evangelho 34730 059 – 238).

  3. Providencie uma folha de papel e um lápis ou caneta para cada aluno.

  4. Sugestão didática: Ocasionalmente, utilize declarações dos profetas modernos, que se encontram neste manual e nas revistas da Igreja, para ajudar a dirigir e esclarecer as discussões em classe e salientar que o Senhor continua a revelarnos Sua vontade atualmente. Utilize essas citações para apoiar, e não substituir, a leitura das escrituras e a discussão em classe.

Sugestão para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, utilize a seguinte atividade ou uma de sua escolha para começar a lição.

Mostre uma pequena jarra de vidro, um recipiente de óleo ou água colorida e a gravura da Segunda Vinda.

Explique-lhes que esta lição concentra-se nas três parábolas que o Salvador ensinou em resposta às perguntas feitas pelos Apóstolos a respeito de Sua Segunda Vinda. Diga aos alunos que você irá utilizar a jarra e o óleo ou água colorida para representar nossa preparação para a Segunda Vinda.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Ao ensinar as seguintes passagens das escrituras, discuta como elas podem ser colocadas em prática na vida diária. Incentive os alunos a contarem experiências que estejam relacionadas com os princípios encontrados nas escrituras.

1. Jesus ensina a parábola das dez virgens.

Leia e discuta Mateus 25:1–13. Explique-lhes que a parábola das dez virgens baseia-se nos costumes matrimoniais judaicos. Na época de Jesus, o noivo e seus amigos acompanhavam a noiva de sua casa até a casa do noivo. As amigas da noiva esperavam no caminho para unirem-se ao grupo. Quando chegavam na casa do noivo, todos entravam para o casamento. Esses casamentos geralmente eram realizados à noite, de modo que as pessoas que esperavam o noivo e a noiva levavam consigo pequenas lamparinas com óleo.

• Na parábola das dez virgens, quem o noivo representa? (O Salvador.) Quem as virgens representam? (Os membros da Igreja.) O que o casamento representa? (A Segunda Vinda do Salvador.) O que o óleo das lâmpadas representa? (A preparação para a Segunda Vinda.)

• O que cinco das virgens fizeram de insensato? (Ver Mateus 25:3.) Quais foram as conseqüências de sua falta de preparação? (Ver Mateus 25:8–12.) De que modo às vezes cometemos o mesmo erro das virgens insensatas?

• O que cinco das virgens sabiamente fizeram? (Mateus 25:4) Quais foram as conseqüências de sua preparação? (Ver Mateus 25:10) O que podemos aprender com o que as cinco virgens sábias fizeram? (Ver D&C 45:56–57. Precisamos preparar-nos para a Segunda Vinda de Jesus Cristo.)

• Lembrando que o óleo da parábola representa a preparação para a Segunda Vinda, quais são algumas das maneiras pelas quais podemos acrescentar “óleo” à nossa “lâmpada”? (As respostas podem incluir aspectos específicos da vida em retidão, como ter fé, receber as ordenanças, guardar os convênios ou servir.)

Se for usar a jarra e o óleo ou a água colorida (ver atividade motivadora), explique-lhes que a jarra representa a lâmpada da parábola. Coloque uma gota de óleo ou água na jarra a cada vez que um aluno sugerir algo que podemos fazer para nos preparar. Cite as seguintes reflexões do Presidente Spencer W. Kimball:

“Na parábola, o óleo podia ser comprado no mercado. Em nossa vida, o óleo da preparação é acumulado gota a gota pelo viver reto. A freqüência à reunião sacramental acrescenta óleo a nossa lâmpada, gota a gota, ao longo dos anos. O jejum, a oração familiar, o ensino familiar, o controle de nossos apetites carnais, a pregação do evangelho, o estudo das escrituras — cada ato de dedicação e obediência é uma gota acrescentada a nossa reserva. Os gestos de bondade, o pagamento das ofertas e do dízimo, os pensamentos e atos castos, o casamento para a eternidade dentro do convênio — essas coisas também contribuem de modo importante para o óleo com que reabasteceremos nossas lâmpadas à meia-noite.” (Faith Precedes the Miracle, 1972, p. 256.)

Peça aos alunos que pensem em silêncio nas seguintes perguntas:

• O que vocês fizeram na última semana para acrescentar óleo à sua lâmpada? Quais são algumas das coisas que farão na próxima semana para acrescentar óleo à lâmpada?

2. Jesus ensina a parábola dos talentos.

Leia e discuta Mateus 25:14–30. Explique-lhes que na época do Novo Testamento, um talento era uma quantia em dinheiro.

• Na parábola dos talentos, quem o homem que viaja para um país distante representa? (O Senhor.) Quem os servos representam? (Cada um de nós.) O que os talentos representam? (Os dons de Deus.)

• O que os servos que receberam cinco e dois talentos fizeram com o dinheiro? (Ver Mateus 25:16–17.) Que recompensa receberam? (Ver Mateus 25:21, 23.) O que essa parábola ensina a respeito da recompensa eterna com que nosso Pai Celestial irá nos abençoar? (As respostas podem incluir que as pessoas que parecem ter menos dons de Deus receberão todas as bênçãos, se utilizarem plenamente os dons que receberam.)

O Élder James E. Faust disse o seguinte a respeito daqueles que parecem ter recebido menos talentos: “Caso seus talentos sejam usados para construir o reino de Deus e servir ao próximo, eles desfrutarão todas as promessas do Senhor. A grande promessa do Salvador é de que eles ‘[receberão] a sua recompensa, sim, paz neste mundo e vida eterna no mundo vindouro’. (D&C 59:23)”. (A Liahona, julho de 1994, p. 5.)

• O que o servo que recebeu um talento fez com o dinheiro? (Ver Mateus 25:24–25.) O que o mestre disse a ele? (Ver Mateus 25:26–30.) Por que às vezes deixamos de desenvolver os talentos e dons que Deus nos concedeu? Como podemos vencer os obstáculos que nos impedem de desenvolver esses dons?

• O Élder Marvin J. Ashton ensinou que “temos o direito e a responsabilidade de aceitar nossos dons e compartilhá-los”. (Conference Report, outubro de 1987, p. 23; ou Ensign, novembro de 1987, p. 20.) Como podemos reconhecer e aceitar os talentos e dons que o Senhor nos confiou? Por que acham ser importante compartilharmos nossos talentos e dons? Que bênçãos vocês receberam por terem desenvolvido e compartilhado seus talentos e dons? Como foram abençoados pelo fato de outras pessoas terem compartilhado seus talentos ou dons?

• Toda pessoa recebeu pelo menos um dom de Deus (D&C 46:11–12), mas alguns dons são mais facilmente reconhecíveis que outros. Quais são alguns dons que podem ser difíceis de reconhecer, mas que podem ser usados para servir ao próximo e glorificar a Deus?

O Élder Marvin J. Ashton disse:

“Citarei alguns que nem sempre são evidentes ou notados, não obstante serem muito importantes. Entre estes, poderão estar os vossos dons — dons não muito visíveis mas, mesmo assim, reais e valiosos.

Examinemos alguns desses dons menos conspícuos: o dom de pedir; o dom de ouvir; o dom de escutar e acatar a voz suave e mansa; o dom de chorar; o dom de evitar contendas; o dom de ser agradável; o dom de evitar vãs repetições; o dom de buscar o que é reto; o dom de não julgar; o dom de buscar a orientação de Deus; o dom de ser discípulo; o dom de se importar com o próximo; o dom da ponderação; o dom de orar; o dom de prestar um testemunho vigoroso; e o dom de receber o Espírito Santo”. (A Liahona, janeiro de 1988, p. 18.)

Entregue um lápis ou caneta e uma folha de papel para cada aluno. Peça-lhes que escrevam um ou dois de seus talentos ou dons, juntamente com pelo menos uma coisa específica que farão nas próximas semanas para utilizá-los no serviço ao próximo.

Se tiver usado a jarra e o óleo ou a água colorida, acrescente algumas gotas a mais na jarra. Explique-lhes que ao desenvolvermos os talentos e dons que Deus nos concedeu, estamos acrescentando mais óleo a nossa lâmpada.

3. Jesus ensina a parábola das ovelhas e dos bodes.

Leia e discuta Mateus 25:31–46.

• Jesus ensinou que em Sua Segunda Vinda Ele irá separar-nos como um pastor separa as ovelhas dos bodes. (Mateus 25:31–32) Na parábola das ovelhas e dos bodes, quem as ovelhas representam? (Ver Mateus 25:33–34.) Quem os bodes representam? (Ver Mateus 25:33, 41.)

• O que essa parábola ensina que precisamos fazer para preparar-nos para a Segunda Vinda e o dia do juízo? (Ver Mateus 25:35–46.)

O Élder Marion D. Hanks disse:

“Jesus ensinou aos Seus seguidores a parábola das ovelhas e dos bodes, representando o julgamento futuro. Nessa parábola, Ele identificou claramente os que herdarão a ‘vida eterna’ e os que irão ‘para o tormento eterno’. (Mateus 25:46) A diferença fundamental é que herdarão o reino com Ele aqueles que desenvolveram o hábito de ajudar, que conheceram a alegria de dar e a satisfação de servir — que foram sensíveis às necessidades dos famintos, sedentos, desabrigados, nus, doentes e encarcerados. (…)

Nada poderia ser mais claro do que o grande valor que o Salvador atribuiu ao serviço altruísta como elemento indispensável à conduta cristã e à salvação. Ajudar, dar, sacrificar, são, ou deveriam ser, coisas tão naturais como crescer e respirar”. (A Liahona, julho de 1992, pp. 9–10.)

Se estiver usando a jarra com óleo ou água colorida, acrescente algumas gotas à jarra. Explique-lhes que quando servimos ao próximo, acrescentamos óleo a nossa lâmpada. Também podemos ajudar outras pessoas a acrescentarem óleo a suas próprias lâmpadas. Dê exemplos de serviço ao próximo que você observou e convide os alunos a contarem exemplos que testemunharam.

• De que maneira podemos abençoar outras pessoas com nosso serviço? De que modo vocês foram abençoados pelo serviço que prestaram a outra pessoa? Como se sentem a respeito de pessoas que os serviram? Como podemos tornarnos mais sensíveis às necessidades das outras pessoas? Como podemos tornarnos mais diligentes no serviço ao próximo?

• O que acham que o Salvador quis dizer ao declarar: “Quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. (Mateus 25:40; ver também Mosias 2:17.)

Conclusão

Testifique-lhes que devemos preparar-nos para a Segunda Vinda de Jesus Cristo. Devemos desenvolver os dons que recebemos de Deus e seguir o exemplo do Salvador, dedicando nossa vida ao serviço ao próximo. Explique-lhes que todos podemos fazer essas coisas, sejam quais forem nossa situação ou condições.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a aula. Você pode usar uma dessas idéias ou as duas como parte da lição.

1. “Um Pobre e Aflito Viajor”

Cante ou leia com a classe o hino “Um Pobre e Aflito Viajor” (Hinos, n.o 15). Em seguida, leia Mateus 25:40. Convide os alunos a compartilharem seus sentimentos a respeito da mensagem do hino e da passagem da escritura.

2. Fita de vídeo

Você poderá usar o quinto segmento de “Costumes do Novo Testamento”, do vídeo Novo Testamento — Apresentações de Vídeo (53914 059), para explicar alguns dos costumes da festa de casamento na época do Novo Testamento.