Lição 17

“Que Farei para Herdar A Vida Eterna?”

O Novo Testamento: Manual do Professor de Doutrina do Evangelho


Objetivo

Ajudar os alunos a compreenderem que precisam estar dispostos a sacrificar as coisas do mundo para alcançar um lugar no reino do céu.

Preparação

  1. Leia e pondere as seguintes escrituras e ore a respeito delas:

    1. Marcos 10:17–30; 12:41–44. Um jovem rico pergunta o que precisa fazer para herdar a vida eterna, e Jesus ensina que a confiança na riqueza pode impedir uma pessoa de entrar no reino de Deus. Jesus elogia a viúva pobre por colocar duas moedas na arca do tesouro.

    2. Lucas 12:13–21. Por meio da parábola do rico tolo, Jesus ensina a respeito dos perigos da avareza. Ele exorta Seus seguidores a procurarem acumular um tesouro no céu, e não na Terra.

    3. Lucas 14:15–33. Por meio da parábola da grande ceia, Jesus ensina que aqueles que O seguirem precisam estar dispostos a deixar de lado todas as outras coisas.

    4. Lucas 16:1–12. Por meio da parábola do mordomo infiel, Jesus ensina Seus seguidores a procurarem as riquezas espirituais com o mesmo entusiasmo com que são procuradas as riquezas terrenas.

  2. Leitura adicional: Mateus 19:16–30; Lucas 18:18–30; 21:1–4; Jacó 2:18–19.

  3. Se a gravura Cristo e o Jovem Rico (Pacote de Gravuras do Evangelho, nº 244) estiver à disposição, use-a durante a lição.

  4. Se for utilizar a atividade motivadora, construa uma armadilha para macacos ou desenhe-a no quadro-negro. (Ver ilustração abaixo.) Para fazer uma armadilha para macacos, pegue uma caixa com tampa, cole a tampa na caixa e faça uma abertura no lado da caixa, suficientemente grande para deixar entrar sua mão aberta, mas não seu punho fechado. Coloque uma fruta ou algumas nozes dentro da caixa.

  5. Sugestão didática: Néfi disse: “Apliquei todas as escrituras a nós, para nosso proveito e instrução”. (1 Néfi 19:23) Estude Ensino — Não Há Maior Chamado, páginas 85–86 e 116–117, para saber como ajudar os alunos a aplicarem as escrituras a sua vida.

Sugestão para o Desenvolvimento da Lição

Atividade Motivadora

Se for adequado, utilize a seguinte atividade ou uma de sua escolha para começar a lição.

Mostre a armadilha que você fez ou desenhou. (Ver seção “Preparação”.) Explique-lhes que uma armadilha como essa pode ser usada para apanhar um macaco. Prende-se um recipiente no chão e coloca-se uma isca (como nozes ou uma fruta) no seu interior. O buraco do recipiente é suficientemente largo para deixar passar facilmente a mão aberta do macaco, mas muito pequena para que ele a retire se estiver segurando a isca. (Demonstre.) O macaco vê a isca e estende a mão para apanhá-la. Depois que segura a isca, ele se deixa aprisionar, mas não a larga. Não se dispõe a sacrificar o que tem em troca de algo mais importante: sua liberdade.

Explique-lhes que às vezes cometemos o mesmo erro do macaco. Quando conseguimos algo que nos parece atraente, muitas vezes não nos dispomos a perdê-lo, mesmo que para isso deixemos de conseguir algo melhor. Esta lição mencionará algumas coisas que talvez tenhamos que sacrificar a fim de receber a maior das bênçãos: a vida eterna na presença de nosso Pai Celestial e de Jesus Cristo.

Discussão e Aplicação das Escrituras

Ao ensinar as seguintes passagens das escrituras, ajude os alunos a compreenderem que todos podemos vir a ter que sacrificar coisas diferentes para herdar o reino de Deus. Devemos estar dispostos a sacrificar tudo o que Deus pedir.

1. Confiar nas riquezas pode impedir uma pessoa de entrar no reino de Deus.

Leia e discuta Marcos 10:17–30; 12:41–44. Mostre a gravura de Cristo e o jovem rico.

• O que Jesus disse ao jovem rico que Lhe perguntou como poderia alcançar a vida eterna? (Ver Marcos 10:17–21.) Por que essa instrução fez com que o jovem rico se entristecesse? (Ver Marcos 10:22.) Por que acham que o Senhor lhe pediu que se desfizesse de tudo o que tinha? De que modo a instrução que o Salvador deu ao jovem rico se aplica a nós?

O Presidente Joseph F. Smith disse: “A dificuldade enfrentada pelo jovem rico [estava] em possuir muitas propriedades, e ele preferiu confiar nelas do que desfazer-se delas e seguir Cristo. (…) Ninguém herdará o dom da vida eterna a menos que esteja disposto a sacrificar todas as coisas terrenas a fim de alcançálo.” (Gospel Doctrine, 5ª ed. , 1939, p. 261.)

• O que Jesus ensinou a respeito da relação entre possuir riquezas e entrar no reino de Deus? (Ver Marcos 10:23–25.) Qual é a diferença entre possuir riquezas e confiar nelas? Como podemos manter a devida atitude em relação a nossas propriedades terrenas? (Ver Mosias 4:19, 21.)

O Presidente Smith também ensinou: “Deus não faz acepção de pessoas. O rico pode entrar no reino do céu tão livremente quanto o pobre, desde que sujeite seu coração e interesses à lei de Deus e ao princípio da verdade; desde que centralize seus interesses em Deus, seu coração na verdade, e sua alma no cumprimento dos propósitos de Deus, em vez de fixar seus interesses e esperanças nas coisas do mundo.” (Gospel Doctrine, pp. 260–261.)

• Compare o jovem rico com a viúva pobre de Marcos 12:41–44. O que a viúva estava disposta a fazer e que o jovem rico não estava? (Ver Marcos 12:44. Ela estava disposta a dar tudo o que tinha para alcançar o reino de Deus.) Como podemos desenvolver uma atitude semelhante à da viúva pobre?

2. Buscar os tesouros do céu em vez de os da Terra.

Leia e discuta Lucas 12:13–21.

• O Que Jesus disse ao homem que estava preocupado com sua herança? (Ver Lucas 12:13–15.) O que é a avareza? (Um grande desejo de obter riquezas ou as propriedades de outra pessoa.) Que coisas as pessoas cobiçam hoje em dia? Por que é perigoso cobiçar?

• Num mundo que freqüentemente valoriza muito as posses materiais, como podemos lembrar-nos de que nosso valor como pessoas não é determinado por quanto possuímos? (Ver Lucas 12:15.) Que bênçãos são mais importantes do que as posses materiais? (Ver alguns exemplos em Lucas 12:31–34; D&C 6:7.)

• De que modo o homem da parábola do rico tolo havia sido abençoado? (Ver Lucas 12:16.) O que ele decidiu fazer com o que tinha de sobra? (Ver Lucas 12:18.) O que demonstravam suas ações? (Ver Lucas 12:19–21. Seu coração estava voltado para suas riquezas.) O que poderia ter feito com o que tinha de sobra, se estivesse procurando acumular tesouros no céu e não na Terra? (Ver Mosias 4:26; D&C 52:40.)

• Por que muitas pessoas colocam seu coração nas riquezas do mundo, mesmo sabendo que elas são apenas temporárias? Como podemos determinar se estamos por demais preocupados com nossas posses materiais? Como podemos ser mais generosos com nossas riquezas materiais e com outras bênçãos, como nosso tempo ou talentos? (Incentive os alunos a pensarem mais a esse respeito depois da aula, individualmente ou com sua família.)

3. Os seguidores de Cristo precisam estar dispostos a sacrificar todas as coisas para tornarem-se verdadeiros discípulos.

Leia e discuta alguns versículos tirados de Lucas 14:15–33.

• Ao interpretar a parábola da grande ceia, o Élder James E. Talmage ensinou que os convidados representavam o povo do convênio, ou seja, a casa de Israel. Quando o servo (Jesus) pediu-lhes que fossem à ceia (aceitassem o evangelho), deram desculpas e recusaram o convite. (Jesus, o Cristo, p. 437) Por que os israelitas não foram à ceia? Quem são “os pobres, e aleijados, e mancos e cegos”? (Lucas 14:21)

• De que maneira a parábola da grande ceia se aplica a todos nós? Que desculpas damos para não banquetear-nos na ceia do Senhor: por exemplo, não ler as escrituras ou não ir ao templo? Como podemos demonstrar que aceitamos o convite do Senhor para participarmos de Sua ceia?

• Jesus ensinou que Seus discípulos deveriam estar dispostos a sacrificar tudo o que Ele pedisse deles. (Lucas 14:26–33) Quais são algumas das coisas que os antigos discípulos tiveram que sacrificar? Quais são algumas das coisas que os discípulos atuais têm que sacrificar? O que o Senhor pediu que vocês sacrificassem? De que modo foram abençoados por fazer esse sacrifício?

4. Buscar as riquezas espirituais com entusiasmo e energia.

Leia e discuta alguns versículos tirados de Lucas 16:1–12. Para ajudar os alunos a compreenderem a parábola do mordomo infiel, explique o seguinte:

O Élder James E. Talmage explicou que o Senhor usou essa parábola para “mostrar o contraste entre o cuidado, consideração e devoção de homens ocupados em afazeres terrenos lucrativos, e o pouco entusiasmo de muitos que afirmam estar buscando as riquezas espirituais”. O Senhor não estava sugerindo que imitássemos os atos desonestos do mordomo infiel, mas que buscássemos as riquezas espirituais com a mesma avidez e esforço com que o mordomo procurava alcançar riqueza material.

O Élder Talmage prossegue: “Homens preocupados com as coisas do mundo não negligenciam as provisões para o futuro e freqüentemente se esforçam, de maneira pecaminosa, para acumular em abundância; enquanto os “filhos da luz”, ou aqueles que acreditam que a riqueza espiritual está acima de todas as possessões mundanas, são menos vigorosos, prudentes ou sábios”. (Jesus, o Cristo, p. 447.)

• Peça aos alunos que comparem silenciosamente o quanto de tempo, reflexão e energia dedicam ao acúmulo de dinheiro e propriedades com o tempo, reflexão e energia que dedicam na busca de tesouros espirituais. Como podemos ser mais dedicados e entusiasmados na busca de riquezas espirituais?

Conclusão

Testifique-lhes que para herdar a vida eterna devemos estar dispostos a deixar de lado as coisas do mundo e servir o Senhor de todo o coração, poder, mente e força. Incentive os alunos a serem gratos pelas bênçãos terrenas mas que se esforcem para colocá-las em sua devida perspectiva.

Outras Sugestões Didáticas

Sugere-se o seguinte material para complementar a aula. Você pode usar uma ou mais dessas idéias como parte da lição.

1. Humildade

Leia e discuta Lucas 14:7–11.

• Como vocês comprovaram a veracidade da declaração de Jesus em Lucas 14:11?

2. A verdadeira caridade

• O que aprendemos em Lucas 14:12–14 a respeito de como devemos servir? (As respostas podem incluir que não devemos servir com o intuito de receber algo em troca e que não devemos limitar nosso serviço àqueles que nos retribuem ou mesmo que nos agradecem.) Quais devem ser nossos objetivos ao servir?

• De que modo a verdadeira caridade nos ajuda a aproximar-nos do Senhor?

3. A parábola do homem rico e Lázaro

Peça aos alunos que leiam e discutam a parábola encontrada em Lucas 16:19–31.

• Depois que o homem rico morreu, o que ele pediu que o Pai Abraão fizesse em favor de seus irmãos? (Ver Lucas 16:27–28.) O que respondeu Abraão? (Ver Lucas 16:29–31.) O que isso nos ensina a respeito da atenção que devemos dar ao profeta?

• O que essa parábola nos ensina a respeito da importância de cuidar dos pobres? (Ver D&C 104:18.)

Os jovens talvez apreciem dramatizar esta parábola. Coloque dois alunos (Abraão e Lázaro) em um dos lados de uma fila de cadeiras, representando o grande abismo, e outro aluno (o homem rico) do outro lado. Peça a um quarto aluno que seja o narrador. Peça aos alunos que leiam suas falas diretamente de Lucas 16:19–31, e peça ao narrador que leia tudo que não for dito por um dos outros personagens. (Ver Ensino — Não Há Maior Chamado, pp. 141–142.)